Encontro da Rede de Mulheres apresenta resultado de pesquisa sobre atuação sindical

Publicado em Segunda, 31 Outubro 2016 09:41

 JOR0928

O Encontro da Rede de Mulheres encerrou-se nesta sexta-feira (28/07), após dois dias intensos de intercâmbio com debates para avaliação e planejamento das atividades da Rede, que completou 10 anos.

A Secretária de Relações de Gênero da CNTE, Isis Tavares Neves, conduziu a primeira mesa do dia e em sua fala alertou para a importância de que a questão do empoderamento das mulheres esteja permanentemente em pauta nos sindicatos, e que os mesmos aumentem sua capacidade de interlocução para manter o diálogo e o protagonismo na formulação dos currículos escolares. “Muitos sindicatos entendiam a luta apenas pelo viés economicista, o nosso papel é lutar para que bandeiras estruturantes como a luta das mulheres esteja nas nossas agendas, pois recentemente constatamos que a sustentação ideológica do golpe passa pela escola”, disse.

Pesquisa

Gabriela Bonilla, antropóloga e professora de adultos, apresentou os resultados da pesquisa “Incidência Sindical nas Políticas Públicas para a igualdade: desafios sindicais nas Políticas Públicas”. A Rede de Mulheres Trabalhadoras da Educação da IEAL (Internacional da Educação para América Latina) vem debatendo políticas públicas como instrumentos para disputa do poder sócioeconômico e cultural dos países latinoamericanos e tem investido fortemente nos estudos com enfoque de gênero, partindo do princípio de que a igualdade não é um fato que surge naturalmente, mas deve ser construído em bases políticas, sociais e culturais.

A pesquisa que Gabriela Bonilla apresentou, foi feita a partir da percepção dos sindicatos sobre sua própria participação nas diferentes fases de formulação de políticas públicas para a igualdade de gênero e, para isso, o estudo recuperou os últimos 10 anos de atuação da Rede, em 8 países: Brasil, Argentina, Uruguai, Peru, Colômbia, El Salvador, Costa Rica e República Dominicana.

Foram analisadas as formas de participação dos sindicatos frente às legislações, incluindo proposta e negociação, o debate e mobilização social, a integração dos conteúdos e implicações da legislação sobre o conteúdo da sala de aula e formação sindical, difusão entre as bases após aprovada a legislação e também a oposição, conflito e mesmo a ausência dessa participação por parte dos sindicatos.

Protagonismo sindical

Os dados mostram que os países incluídos na pesquisa conquistaram pelo menos 22 leis relativas a direitos trabalhistas, liberdade sindical e de autonomia econômica. Desse total de leis, os sindicatos tiveram atuação propositiva e de negociação em 15% dos casos, foram capazes de colocar a questão no debate social em 17% e em 18% dos casos conseguiram incluir o conteúdo e as implicações da legislação nos conteúdos programáticos do currículo escolar e na formação sindical. Com relação, especificamente às políticas para erradicação e punição da violência contra as mulheres, os sindicatos atuaram com propostas e negociação em 10% dos casos, em 15% foi possível o debate social e em 23% dos casos difundiram os conteúdos da política entre as bases.

A mesma pesquisa destaca a importância da construção de alianças com os diferentes movimentos de mulheres, assim como a necessidade permanente de defesa da democracia para contar com os mecanismos de participação feminina nas tomadas de decisão.

Sobre a capacidade sindical de promover a criação de políticas públicas com perspectiva de gênero, a pesquisadora disse que "ainda precisamos avançar para dar conteúdo sindical às questões de gênero e conseguir propor políticas públicas que fortaleçam a igualdade de gênero em todas as suas dimensões no mundo do trabalho", observou.

Desafios e estratégias

Os trabalhos realizados durante o Encontro apontaram para o futuro com a continuidade da Rede como instrumento para o fortalecimento sindical. Assim, medidas como garantir que a transversalidade da temática de gênero e análises conjunturais aconteçam em todas as atividades, sistematizar as experiências e fortalecer a estratégia de comunicação da Rede, como também proporcionar formação sindical para mulheres mais jovens com vistas à sustentabilidade, foram aspectos relevantes que resultaram das atividades em grupo e que passam a compor o planejamento para o próximo período.

A professora Fátima Silva, secretária de Relações Internacionais da CNTE e vice-presidenta da IEAL, enalteceu as conquistas da Rede ao longo dos 10 anos, lembrou que o trabalho conjunto proporcionou importantes avanços para as mulheres latinoamericanas, como a criação de várias secretarias de mulheres ou de gênero sendo que, para isso, alguns sindicatos chegaram até a alterar os estatutos. A adoção de uma linguagem inclusiva passou a ser uma marca da Rede e houve mudanças significativas na cultura organizacional dos sindicatos. Alguns países desenvolveram campanhas de sensibilização para o tema e surgiram políticas públicas para uma educação não sexista. “O nosso grande desafio é reforçar, através de políticas estruturantes, uma educação que promova a igualdade entre homens e mulheres, com oportunidades iguais para ambos os sexos. Vivemos o contexto de mundo dirigido por homens, enquanto que a mulher é vista como coadjuvante na construção da sociedade. Para transformar esse modelo patriarcal precisamos de muita determinação, ativismo e engajamento, pois apenas assim poderemos romper com o estereótipo que mantém homens e mulheres em mundos divididos”, concluiu.

Confira mais fotos do evento na página oficial da CNTE no Facebook.

 
 
  15/01/2018
Boletim CNTE 809
As ações de resistência para defender a democracia: a pauta em 2018 é ampliar a luta!!
INFORMATIVO CNTE 809  
 
 
INSTITUCIONAL CNTE | Resistência e Convocação para a Conape 2018 (01/12/2017)
 
 

Programa 597: CNTE faz balanço das lutas de 2017

 
 

Nota Pública: Paulo Freire continua sendo o patrono da educação brasileira

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Trabalhadores e trabalhadoras da rede municipal de Educação de Sinop denunciam que a atual gestão se nega a cumprir o Plano Municipal de Educação (PME), enquanto deixa os recursos da Educação parados na...
O Coletivo de Mulheres do Sinte-PI esteve reunido na manhã desta quinta-feira (18) na sede do sindicato para tratar de pautas importante e urgentes para o segmento. Estiveram presentes representantes dos Núcleos Regionais de Água...
O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) cobrou da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) a posse dos aprovados no concurso público de 2017. Na reunião, foi informado que o...
Sinteal e trabalhadoras/es em educação da rede pública municipal de Maceió, em assembleia realizada na tarde desta 3ª feira (16/01), na sede do sindicato, no bairro do Mutange, deram início às lutas da...
O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), subsede de Ipatinga, protocolou na Comissão Interamericana de Direitos Humanos, denúncia sobre a situação envolvendo os...
Pela primeira vez na história de atuação do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) em Paranatinga (373 km de Cuiabá), o Sindicato foi convidado para reunião com o chefe do...
O Sinteal conquistou, na justiça, uma vitória na defesa da Gestão Democrática das escolas públicas estaduais de Alagoas. Em decisão do dia 13 de janeiro, o juiz Ayrton de Luna Tenório concedeu liminar...
 As inscriçõess para o Fórum Social Mundial 2018 (FSM 2018) já estão abertas no site www.fsm2018.org. Os interessados podem se inscrever nas modalidades: Participante, Comitê e Grupo de Trabalho, Entidade,...
Foto:Ricardo Stuckert/Instituto Lula Antes do Governo do Lula, os(as) Funcionários(as) da Educação não tinham direito à política de formação continuada e nem eram reconhecidos(as) como...
Diante de resultados de inúmeras pesquisas sobre a educação brasileira, desde as inquietantes reflexões de Anísio Teixeira e Paulo Freire às últimas pesquisas da OCDE - Organização para a...
Os trabalhadores e trabalhadoras em educação, reunidos em assembleia geral na última quarta-feira (10), discutiram sobre a Campanha Salarial 2018, com base no índice de reajuste de 6,81% do Piso Nacional do Magistério...
O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) faz o alerta de mais uma prática do governo Taques para promover o desmonte da escola pública, de gestão pública, gratuita, laica e de...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.