Encontro da Rede de Mulheres apresenta resultado de pesquisa sobre atuação sindical

Publicado em Segunda, 31 Outubro 2016 09:41

 JOR0928

O Encontro da Rede de Mulheres encerrou-se nesta sexta-feira (28/07), após dois dias intensos de intercâmbio com debates para avaliação e planejamento das atividades da Rede, que completou 10 anos.

A Secretária de Relações de Gênero da CNTE, Isis Tavares Neves, conduziu a primeira mesa do dia e em sua fala alertou para a importância de que a questão do empoderamento das mulheres esteja permanentemente em pauta nos sindicatos, e que os mesmos aumentem sua capacidade de interlocução para manter o diálogo e o protagonismo na formulação dos currículos escolares. “Muitos sindicatos entendiam a luta apenas pelo viés economicista, o nosso papel é lutar para que bandeiras estruturantes como a luta das mulheres esteja nas nossas agendas, pois recentemente constatamos que a sustentação ideológica do golpe passa pela escola”, disse.

Pesquisa

Gabriela Bonilla, antropóloga e professora de adultos, apresentou os resultados da pesquisa “Incidência Sindical nas Políticas Públicas para a igualdade: desafios sindicais nas Políticas Públicas”. A Rede de Mulheres Trabalhadoras da Educação da IEAL (Internacional da Educação para América Latina) vem debatendo políticas públicas como instrumentos para disputa do poder sócioeconômico e cultural dos países latinoamericanos e tem investido fortemente nos estudos com enfoque de gênero, partindo do princípio de que a igualdade não é um fato que surge naturalmente, mas deve ser construído em bases políticas, sociais e culturais.

A pesquisa que Gabriela Bonilla apresentou, foi feita a partir da percepção dos sindicatos sobre sua própria participação nas diferentes fases de formulação de políticas públicas para a igualdade de gênero e, para isso, o estudo recuperou os últimos 10 anos de atuação da Rede, em 8 países: Brasil, Argentina, Uruguai, Peru, Colômbia, El Salvador, Costa Rica e República Dominicana.

Foram analisadas as formas de participação dos sindicatos frente às legislações, incluindo proposta e negociação, o debate e mobilização social, a integração dos conteúdos e implicações da legislação sobre o conteúdo da sala de aula e formação sindical, difusão entre as bases após aprovada a legislação e também a oposição, conflito e mesmo a ausência dessa participação por parte dos sindicatos.

Protagonismo sindical

Os dados mostram que os países incluídos na pesquisa conquistaram pelo menos 22 leis relativas a direitos trabalhistas, liberdade sindical e de autonomia econômica. Desse total de leis, os sindicatos tiveram atuação propositiva e de negociação em 15% dos casos, foram capazes de colocar a questão no debate social em 17% e em 18% dos casos conseguiram incluir o conteúdo e as implicações da legislação nos conteúdos programáticos do currículo escolar e na formação sindical. Com relação, especificamente às políticas para erradicação e punição da violência contra as mulheres, os sindicatos atuaram com propostas e negociação em 10% dos casos, em 15% foi possível o debate social e em 23% dos casos difundiram os conteúdos da política entre as bases.

A mesma pesquisa destaca a importância da construção de alianças com os diferentes movimentos de mulheres, assim como a necessidade permanente de defesa da democracia para contar com os mecanismos de participação feminina nas tomadas de decisão.

Sobre a capacidade sindical de promover a criação de políticas públicas com perspectiva de gênero, a pesquisadora disse que "ainda precisamos avançar para dar conteúdo sindical às questões de gênero e conseguir propor políticas públicas que fortaleçam a igualdade de gênero em todas as suas dimensões no mundo do trabalho", observou.

Desafios e estratégias

Os trabalhos realizados durante o Encontro apontaram para o futuro com a continuidade da Rede como instrumento para o fortalecimento sindical. Assim, medidas como garantir que a transversalidade da temática de gênero e análises conjunturais aconteçam em todas as atividades, sistematizar as experiências e fortalecer a estratégia de comunicação da Rede, como também proporcionar formação sindical para mulheres mais jovens com vistas à sustentabilidade, foram aspectos relevantes que resultaram das atividades em grupo e que passam a compor o planejamento para o próximo período.

A professora Fátima Silva, secretária de Relações Internacionais da CNTE e vice-presidenta da IEAL, enalteceu as conquistas da Rede ao longo dos 10 anos, lembrou que o trabalho conjunto proporcionou importantes avanços para as mulheres latinoamericanas, como a criação de várias secretarias de mulheres ou de gênero sendo que, para isso, alguns sindicatos chegaram até a alterar os estatutos. A adoção de uma linguagem inclusiva passou a ser uma marca da Rede e houve mudanças significativas na cultura organizacional dos sindicatos. Alguns países desenvolveram campanhas de sensibilização para o tema e surgiram políticas públicas para uma educação não sexista. “O nosso grande desafio é reforçar, através de políticas estruturantes, uma educação que promova a igualdade entre homens e mulheres, com oportunidades iguais para ambos os sexos. Vivemos o contexto de mundo dirigido por homens, enquanto que a mulher é vista como coadjuvante na construção da sociedade. Para transformar esse modelo patriarcal precisamos de muita determinação, ativismo e engajamento, pois apenas assim poderemos romper com o estereótipo que mantém homens e mulheres em mundos divididos”, concluiu.

Confira mais fotos do evento na página oficial da CNTE no Facebook.

 
 
  19/06/2018
Boletim CNTE 815
Instituto divulga relatório sobre o PNE e os resultados tendem a piorar
INFORMATIVO CNTE 815  
 
 
Heleno Araújo conclama categoria para apoiar greve dos eletricitários
 
 

Programa 602: Heleno Araújo participa de audiência pública no senado sobre violência nas escolas

 
 

Nota Pública: Lei da Mordaça (“Escola Sem Partido”) é inconstitucional, antidemocrática e antipedagógica

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Em uma data histórica para a luta sindical em Alagoas, os/as servidores/as públicos/as municipais de Maceió, organizados por suas entidades (Sinteal, SindPrev, SindsPref, Saseal, entre outras; apoiadas pela CUT/AL), realizaram, na...
Representado por diretores/as da executiva estadual, o Sinteal participou, na manhã desta segunda-feira (16), de ato público em favor da garantia da destinação dos 60% (sessenta por cento) dos recursos dos precatórios...
A formatura de 74 novos professores do estado de Guerrero, no México, em 13 de julho, não estava completa. Faltavam os 43 estudantes da Escola Normal Rural Raul Isidro Burgos, desaparecidos em 26 de setembro de 2014. O nome de cada um foi...
Na última sexta, dia 13, comemoramos, em Assembleia festiva, uma série de avanços conquistados nas negociações da pauta reivindicatória 2018 (7% de aumento, a equiparação do auxiliar de classe com...
Nesta segunda-feira (16) completa o sexto dia da greve da Educação Municipal de Salvador que teve início na quarta-feira (11). A mobilização e disposição de luta continua firme e crescendo, apesar das...
Os servidores que foram contratados até 15 de março de 1987 e que mudaram de regime de celetistas para estatutários serão beneficiados pela transposição com a conversão da Medida Provisória 817 na...
Em assembleia geral organizada pelo Sinteal e núcleo regional, realizada nesta 6ª feira (13), as/os trabalhadoras/es em educação da rede municipal aprovaram o reajuste de 6,81% proposto pelo gestor, mas definiram também...
Lu Sudré Enquanto o salário mínimo brasileiro é de R$ 954, há quem receba um salário maior do que R$ 3 milhões mensalmente. É o que mostram dados da Comissão de Valores...
Na última quinta-feira (12/07/18) ocorreu uma agenda de reunião entre o Governo do Estado e o Sind-UTE/MG.Durante a reunião, o Sindicato cobrou soluções para o atraso e parcelamentos dos salários dos/as...
NOTA PÚBLICA O Governo Pinho Moreira (MDB) anunciou, em 12/07, que fará o parcelamento da metade do 13º salário dos servidores estaduais, sob o pretexto de contenção de despesas e controle de gastos. O valor...
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação manifesta total e veemente repúdio ao tratamento inaceitável porquanto agressivo, misógino e discriminatório, dispensado à deputada...
Em meio a tantas dúvidas e informações desencontradas sobre o tema, o Sinteal realizou nesta quinta-feira (12), um Seminário sobre problemas e perspectivas sobre os recursos do FUNDEF. O evento aconteceu no Espaço...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.