Seminário fortalece debates sobre Igualdade Racial

Publicado em Quinta, 02 Junho 2016 22:33

DSC 0758 Copia

Com o tema “Já FaLEI 10.639 Vezes Que Racismo é Crime”, a Secretaria de Combate ao Racismo da CNTErealiza de 2 a 4 de junho, o Seminário Nacional de Combate ao Racismo, em Brasília.

Na abertura do evento, o presidente da CNTE, Roberto Leão, ressaltou que a escola é um lugar de libertação e não adestramento. “Escola é um local de debate de problemas do cotidiano que afligem os alunos, os pais, a cidade e o bairro onde eles atuam e moram. É um local que pretende formar cidadãos críticos e por isso é necessário que se debatam diversos assuntos, incluindo a questão racial.

Para a Secretária de Combate ao Racismo da CNTE, Iêda Leal, há uma expectativa muito grande em torno dos três dias de evento. “Temos representações de todos os estados no seminário, que estão fazendo um debate muito rico e se preparando pra o enfrentamento ao racismo”.

Quatro mesas simultâneas de debates com diferentes temas foram realizadas entre eles, “Educação escolar e estratégias de enfrentamento ao genocídio da juventude negra”, que teve como palestrante a estudante cotista de Engenharia Civil, Moara Correa Saboia e “Mulheres Negras e a educação escolar brasileira: em busca do bem viver”, conduzida pela Mestre em Ciências da Religião, Janira Sodré Miranda.

”A construção do bem viver na educação escolar passa pela sabedoria das nossas ancestrais, das mulheres negras que nos trouxeram até aqui e que nos permitiram hoje reivindicar cidadania e educação que seja significativa e afetiva”, ressaltou Miranda.

A estudante Moara, só a educação é capaz de salvar o jovem negro. "Segundo dados de 2012, no Brasil, morrem 30 mil jovens por ano e 77% são negros. A escola é o único equipamento estatal que o jovem tem acesso e que tem o trabalho de  conquistá-lo antes dele se perder. Por isso, é necessário lutar pelo nosso espaço na educação e barrar o genocídio. As cotas dão oportunidade do negro transformar esta realidade".

A Pós-doutora e ex-ministra das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, Nilma Lino, apresentou a palestra “O negro no Brasil e estratégias de combate ao racismo por meio da educação”. Lino destacou que “essas estratégias surgiram do movimento negro, quilombola, de mulheres negras e da sociedade brasileira denunciando o racismo e exigindo do Estado e, no caso da educação escolar, que se posicionasse diante desse fenômeno. Isso resultou em algumas políticas de estado que são estratégias de combate ao racismo institucionalizadas. Como a Lei Federal nº 12.711, de cotas nas universidades e institutos federais e a Lei Federal nº 12.990, que instituiu cotas nos concursos públicos”, enumerou.

O evento enfatizou a criação da Lei Federal nº 10.639/03, que foi aprovada em 2003 e que torna obrigatório o ensino de História e Africana e Afro-Brasileira nas escolas de Ensino Fundamental e Médio. Essa lei tem o objetivo de promover uma educação que reconhece e valoriza a diversidade, comprometida com as origens do povo brasileiro.

“Ainda há muita intolerância e preconceito nas escolas de todo o país. É preciso existir uma mobilização dentro do ambiente escolar, para promover o debate sobre as diferenças e diversidades", afirmou o professor do Departamento de Formação de professores da Faculdade de Educação da baixada fluminense, UERJ, Luís Cláudio de Oliveira, que foi conferencista da palestra “Revisando a Lei 10.639/03 - Tradição Africana, princípios civilizatórios de atuação contra o racismo e a intolerância religiosa no ambiente escolar”.

Para a mestre Janira Sodré Miranda, é necessário resgatar os feitos dos negros e lutar por uma sociedade antirracista "Nós vivemos em uma sociedade racista, onde a elite brasileira tem verdadeiro ódio da maioria negra. Nós temos uma educação racista, onde os livros didáticos não expõem toda a história dos negros. Toda a história é negada dentro da sala de aula".

Lançamentos

No evento foi lançado, o eixo 4, fascículo 2, do programa de  formação de dirigentes sindicais, com o tema, Educação para as Relações Etnicorraciais.  O fascículo, que teve a coordenação da secretária de combate ao racismo da CNTE, IêdaLeal, é uma realização da escola de formação da cnte – Esforce.

O livro teve a equipe de pesquisa e produção de texto composta pela professora da Coordenação de Filosofia e Ciências Humanas do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, Janira Sodré Miranda, pelo professor do Departamento de Formação de professores da Faculdade de Educação da baixada fluminense, UERJ, Luís Cláudio de Oliveira e pela professora da Rede Estadual de Goiás, Roseane Ramos Silva.

Também foi lançado no seminário, o livro “Cadernos Negros – vol. 38 – Contos Afro-brasileiros, que reúne diversos contos de escritores negros Criado em 1978, pelo Grupo Quilombohoje Literatura.

Confira a programação do seminário na íntegra.

Veja mais fotos do evento na página da CNTE no Facebook.

 
 
  15/01/2018
Boletim CNTE 809
As ações de resistência para defender a democracia: a pauta em 2018 é ampliar a luta!!
INFORMATIVO CNTE 809  
 
 
INSTITUCIONAL CNTE | Resistência e Convocação para a Conape 2018 (01/12/2017)
 
 

Programa 597: CNTE faz balanço das lutas de 2017

 
 

Nota Pública: Paulo Freire continua sendo o patrono da educação brasileira

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) cobrou da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) a posse dos aprovados no concurso público de 2017. Na reunião, foi informado que o...
Sinteal e trabalhadoras/es em educação da rede pública municipal de Maceió, em assembleia realizada na tarde desta 3ª feira (16/01), na sede do sindicato, no bairro do Mutange, deram início às lutas da...
O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), subsede de Ipatinga, protocolou na Comissão Interamericana de Direitos Humanos, denúncia sobre a situação envolvendo os...
Pela primeira vez na história de atuação do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) em Paranatinga (373 km de Cuiabá), o Sindicato foi convidado para reunião com o chefe do...
O Sinteal conquistou, na justiça, uma vitória na defesa da Gestão Democrática das escolas públicas estaduais de Alagoas. Em decisão do dia 13 de janeiro, o juiz Ayrton de Luna Tenório concedeu liminar...
Foto:Ricardo Stuckert/Instituto Lula Antes do Governo do Lula, os(as) Funcionários(as) da Educação não tinham direito à política de formação continuada e nem eram reconhecidos(as) como...
Diante de resultados de inúmeras pesquisas sobre a educação brasileira, desde as inquietantes reflexões de Anísio Teixeira e Paulo Freire às últimas pesquisas da OCDE - Organização para a...
Os trabalhadores e trabalhadoras em educação, reunidos em assembleia geral na última quarta-feira (10), discutiram sobre a Campanha Salarial 2018, com base no índice de reajuste de 6,81% do Piso Nacional do Magistério...
O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) faz o alerta de mais uma prática do governo Taques para promover o desmonte da escola pública, de gestão pública, gratuita, laica e de...
Após inúmeras comunicações encaminhadas à Seduc e sem nenhuma reposta, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado do Tocantins (Sintet), José Roque Santiago protocolizou...
O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) foi convidado para uma reunião na tarde de quarta-feira (10) com a Casa Civil e a Secretaria de Estado da Educação, para ser comunicado que os 40 mil...
Dando início à campanha salarial 2018 na rede pública municipal de educação de Maceió, o Sinteal já encaminhou à Secretaria Municipal de Educação (Semed), na pessoa da titular da...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.