Fórum Nacional Popular de Educação: uma nova trincheira de luta!

Publicado em Sexta, 09 Junho 2017 17:31

A decisão irrevogável do Ministério da Educação em destituir a atual gestão do Fórum Nacional de Educação (FNE) - instância instituída normativamente pela Portaria MEC nº 1.407/2010 e legalmente ratificada pelo art. 6º da Lei 13.005, que aprovou o Plano Nacional de Educação -, fez com que 20 entidades integrantes do Fórum e outras 12 apoiadoras assinassem, no último dia 7, o documento de renúncia coletiva das entidades progressistas que integravam o FNE, tendo sido imediatamente constituído o Fórum Nacional Popular de Educação (FNPE), encarregado de realizar as Conferências Populares de Educação.

As entidades que se retiraram do FNE e que passaram a formar o FNPE não aceitam que a instância, instituída para fomentar a gestão democrática na educação, se torne um apêndice submisso do MEC. Não é essa a finalidade do Fórum expressa na Lei 13.005, razão pela qual a CNTE e outras entidades nacionais do Fórum provocarão o Poder Judiciário para julgar os atos normativos do MEC e da Presidência da República, que destituíram a atual gestão FNE, alterando também autoritariamente a composição do colegiado e o calendário da Conae 2018.

A portaria MEC nº 577/2017, que revogou a de nº 1.407, e o Decreto de 26 de abril de 2017, que fere requisitos da Lei 13.005 (PNE), devem sofrer análise acurada da Justiça, podendo seus efeitos serem suspensos. Contudo, enquanto isso não ocorre, a sociedade civil organizará as Conferências Populares de Educação, à luz do seguinte calendário: entre julho e outubro de 2017: realização das Conferências Municipais Populares de Educação; entre novembro/2017 e março/2018: realização das Conferências Estaduais Populares de Educação; e em maio de 2018: Conferência Nacional Popular de Educação (CONAPE).

Paralelamente ao debate das Conferências Populares de Educação, a comunidade educacional brasileira e a sociedade civil organizada do campo progressista atuarão juntas no combate às políticas reacionárias e de desmonte da educação pública, entre as quais se destacam a implementação da reforma do ensino médio; a privatização escolar por meio de Organizações Sociais, a militarização de escolas públicas, a Lei da Mordaça (Escola sem Partido), a Emenda 95 (ajuste fiscal), além dos impactos da reforma trabalhista e da terceirização na organização dos sistemas de educação e na vida dos profissionais que atuam nas escolas públicas.

Muitos são os desafios impostos aos trabalhadores do Brasil, entre os quais se incluem os da educação, decorrentes da agenda do golpe parlamentar/jurídico/midiático que continua a ditar a (des)ordem no país. E é preciso resistir aos ataques sem precedentes na história contemporânea do Brasil, evitando que nossa sociedade retorne literalmente a patamares semi-escravocratas e sem esperança de futuro digno para a maioria da população que já trabalha de sol a sol.

 
 
  19/06/2018
Boletim CNTE 815
Instituto divulga relatório sobre o PNE e os resultados tendem a piorar
INFORMATIVO CNTE 815  
 
 
Heleno Araújo conclama categoria para apoiar greve dos eletricitários
 
 

Programa 602: Heleno Araújo participa de audiência pública no senado sobre violência nas escolas

 
 

Nota Pública: Lei da Mordaça (“Escola Sem Partido”) é inconstitucional, antidemocrática e antipedagógica

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Em uma data histórica para a luta sindical em Alagoas, os/as servidores/as públicos/as municipais de Maceió, organizados por suas entidades (Sinteal, SindPrev, SindsPref, Saseal, entre outras; apoiadas pela CUT/AL), realizaram, na...
Representado por diretores/as da executiva estadual, o Sinteal participou, na manhã desta segunda-feira (16), de ato público em favor da garantia da destinação dos 60% (sessenta por cento) dos recursos dos precatórios...
A formatura de 74 novos professores do estado de Guerrero, no México, em 13 de julho, não estava completa. Faltavam os 43 estudantes da Escola Normal Rural Raul Isidro Burgos, desaparecidos em 26 de setembro de 2014. O nome de cada um foi...
Na última sexta, dia 13, comemoramos, em Assembleia festiva, uma série de avanços conquistados nas negociações da pauta reivindicatória 2018 (7% de aumento, a equiparação do auxiliar de classe com...
Nesta segunda-feira (16) completa o sexto dia da greve da Educação Municipal de Salvador que teve início na quarta-feira (11). A mobilização e disposição de luta continua firme e crescendo, apesar das...
Os servidores que foram contratados até 15 de março de 1987 e que mudaram de regime de celetistas para estatutários serão beneficiados pela transposição com a conversão da Medida Provisória 817 na...
Em assembleia geral organizada pelo Sinteal e núcleo regional, realizada nesta 6ª feira (13), as/os trabalhadoras/es em educação da rede municipal aprovaram o reajuste de 6,81% proposto pelo gestor, mas definiram também...
Lu Sudré Enquanto o salário mínimo brasileiro é de R$ 954, há quem receba um salário maior do que R$ 3 milhões mensalmente. É o que mostram dados da Comissão de Valores...
Na última quinta-feira (12/07/18) ocorreu uma agenda de reunião entre o Governo do Estado e o Sind-UTE/MG.Durante a reunião, o Sindicato cobrou soluções para o atraso e parcelamentos dos salários dos/as...
NOTA PÚBLICA O Governo Pinho Moreira (MDB) anunciou, em 12/07, que fará o parcelamento da metade do 13º salário dos servidores estaduais, sob o pretexto de contenção de despesas e controle de gastos. O valor...
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação manifesta total e veemente repúdio ao tratamento inaceitável porquanto agressivo, misógino e discriminatório, dispensado à deputada...
Em meio a tantas dúvidas e informações desencontradas sobre o tema, o Sinteal realizou nesta quinta-feira (12), um Seminário sobre problemas e perspectivas sobre os recursos do FUNDEF. O evento aconteceu no Espaço...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.