Governo Bolsonaro ameaça parâmetros que garantem qualidade da educação; entenda

Publicado em Quarta, 27 Março 2019 10:26

2019 03 27 cntenamidia

Uma reunião extraordinária da Câmara de Educação Básica (CEB), vinculada ao Conselho Nacional de Educação (CNE), deve decidir nesta terça-feira (26) sobre a continuidade dos critérios definidos no Plano Nacional de Educação (PNE) para medir o investimento em educação básica: o “custo aluno qualidade inicial (CAQi)” e o “custo aluno qualidade (CAQ)”.

O primeiro estabelece parâmetros mínimos e universais a serem adotados nas escolas públicas do país, como piso salarial para os professores, plano de carreira, formação continuada, além de questões estruturais como o acesso à água potável, tratamento de esgoto, luz elétrica, laboratórios de pesquisa, biblioteca, internet e quadra poliesportiva coberta. O segundo diz respeito às metas que o governo se propõe tendo como parâmetro países desenvolvidos. É o que explica Daniel Cara, coordenador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, uma das entidades que ajudou a elaborar o PNE.

“O custo aluno qualidade inicial é para elevar e universalizar um patamar melhor de qualidade da educação para todas as escolas públicas. Um patamar que seja básico para a realização do processo de ensino-aprendizagem. O custo aluno qualidade é o esforço para que nos aproximemos do padrão de qualidade dos países mais desenvolvidos do mundo”.

O CAQi e o CAQ existem desde 2010, mas nunca foram homologados pelo Ministério da Educação. Cara conta que na sexta-feira (22), após tomar conhecimento de maneira informal sobre a realização da reunião desta terça, solicitou ao MEC, através da Lei de Acesso à Informação (LAI), detalhes sobre a pauta e os motivos da convocatória. Somente após um pedido de explicações feito pelo Ministério Público Federal (MPF), as autoridades do ministério confirmaram a realização da reunião e afirmou que teria sido motivada por decisões judiciais, até o momento não conhecidas.

“Quando a gente pede, via Lei de Acesso à Informação, acesso às decisões judiciais e à própria pauta do conselho, eles simplesmente não informam. Depois de muita pressão, com a entrada do Ministério Público Federal é que eles dizem, na tarde de ontem [segunda-feira] que a reunião seria à tarde, que o tema estaria vinculado a decisões judiciais, mas ainda não distribuem essas decisões judiciais. Qual o problema? É que boa parte dessas decisões dão ganho de causa aos municípios que acionam a União. Que vão afirmar na Justiça – e a Justiça acata essa decisão – de que o governo federal não está transferindo os recursos”.

Segundo Cara, mesmo tendo autonomia para convocar reuniões como essa, a tomada de decisões no âmbito do Conselho deve ser acompanhada de consultas públicas que não foram realizadas. Para Heleno Araújo, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), o governo de Jair Bolsonaro pretende, com isso, reafirmar seu compromisso com o desinvestimento estatal em áreas prioritárias, a exemplo da Emenda Constitucional 95, que estabeleceu um teto para o investimento público nesses setores.

“Com a emenda constitucional 95 que está em vigor, nós estamos reduzindo os recursos dedicados à educação. Reduzimos em 2017, em 2018 e agora em 2019. E a tendência é que até 2036, sendo mantida essa emenda, ela vai reduzir mais ainda o financiamento para a educação. Por isso que, com esse governo eleito, essa medida de ataque ao custo aluno qualidade tem coerência com aquilo que ele apresentou em campanha de manter a Emenda 95”.

Exame de avaliação da educação básica

Nesta terça-feira, o Ministério da Educação voltou atrás em outra decisão polêmica relativa à educação pública no Brasil. O ministro Ricardo Vélez Rodríguez havia anunciado o adiamento do exame de avaliação da educação básica para crianças do 2º ano fundamental para 2021. Depois de fortes críticas de especialistas da área, o MEC publicou no Diário Oficial da União, uma nova portaria anulando a anterior.

Para Araújo, os “vai e vens” do novo governo demonstra que a equipe "está à deriva". “Estão perdidos, pela incompetência, por não entender a dinâmica e não considerar o tamanho do Brasil. Perdidos na ideia que eles implantaram durante o processo eleitoral. Montaram uma farsa, montaram um discurso em cima de fatos irreais, e ao assumir esse espeço, ficam perdidos”, afirmou.

Na reunião desta terça, a Câmara de Educação Básica pode manter o texto e reenviá-lo ao MEC para que seja homologado, pode alterá-lo, revendo indicadores e prazos, ou mesmo revogar o texto, rejeitando o CAQi e o CAQ como indicadores de política pública. Como o parecer consta no texto do Plano Nacional de Educação, só poderá ser alterado finalmente pelo Congresso Nacional.

(Brasil de Fato, 26/03/2019)

 
 
  12/04/2019
Boletim CNTE 832
Início dos encontros dos coletivos da CNTE
INFORMATIVO CNTE 832  
 
 
Heleno Araújo participa de palestra sobre a reforma da Previdência em Pernambuco
 
 

Programa 611 - Lançamento da 20ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública

 
 

Novo ministro da Educação, Abrahan Weintraub, indica o aprofundamento das políticas de mercantilização e privatização da educação no país

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
No dia 4 de abril, a Escola Estadual Frederico de Barros Brotero, em Guarulhos, foi invadida por policiais armados e visivelmente despreparados, ameaçando atirar com espingarda de balas de borracha à queima-roupa, durante protesto dos...
Com os objetivos de mobilizar os/as trabalhadores/as em educação e debater o impacto da reforma na categoria, o SINDIUPES realizará no dia 23 de abril (terça-feira), em Vitória, o Seminário sobre a Reforma da...
Foto: Filipe Jordão / JC Imagem A atenção do Congresso Nacional e do governo federal está voltada para a reforma da Previdência. Mas outro tema, que envolve o futuro de 40 milhões de crianças e...
O Sindeducação tem recebido, ao longo das últimas semanas, diversas denúncias de professores que acusam as direções de escola, de exigir que os educadores trabalhem 15 minutos além da sua jornada, como...
O Sintero anuncia programação das Regionais para a 20ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Escola Pública, organizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação...
Preocupado com a saúde dos profissionais da educação, o Sinteal esteve na secretaria municipal de saúde de Maceió, no dia 11 de abril, para falar sobre a campanha de vacinação contra o vírus...
Os professores da rede municipal de Educação de Riachinho estão em greve por tempo indeterminado desde o dia 8 de abril. A decisão foi tomada pela categoria em assembleia geral, no dia 28 de março. O movimento...
O dia 15 de abril de 2019 marcou o início da greve da Educação no Estado do Amazonas. Os/as trabalhadores/as em educação do Estado, representados pelo SINTEAM, deflagraram o movimento grevista da categoria com uma...
O Sintero recebeu respostas de diversas reivindicações dos trabalhadores em educação, através do ofício nº4533/2019, expedido pela Secretaria de Educação do Estado de Rondônia (Seduc),...
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa dos/as profissionais da educação básica do setor público brasileiro, repudia a atitude da...
Presidente da CNTE, Heleno Araújo, contribui com o ensaio “A Educação Cidadão ao golpe de 2016”, no livro A Constituição Traída que terá lançamento nacional em Recife -...
O Movimento Unificado dos Servidores Públicos de Maceió obteve importante vitória na última sexta-feira (12), após a inédita reunião com a presença do prefeito da capital, Rui Palmeira, e que...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.