Fundeb e piso do magistério têm novos valores para 2013

FUNDEB-SindiuteEm 31 de dezembro de 2012 o Executivo Federal publicou duas portarias interministeriais, uma informando o novo valor per capita do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – Fundeb (Portaria 1.496), passando o mesmo à quantia de R$ 2.243,71; outra adequando o valor do Fundeb praticado em 2012 em R$ 1.867,15 (Portaria nº 1.495) – referência esta que serve para o MEC atualizar o piso salarial profissional nacional do magistério à luz do parecer da Advocacia Geral da União, cuja orientação, do ponto de vista da CNTE, colide com o dispositivo de caráter prospectivo do art. 5º da Lei 11.738.

Sobre o valor mínimo do Fundeb para 2013, reajustado em 20,16% (percentual extraído das portarias acima mencionadas), a CNTE, mais uma vez, lamenta o fato de a Secretaria do Tesouro Nacional não agir com prudência em suas estimativas. Em 2012, mesmo ciente dos efeitos da crise mundial, a STN/Fazenda estimou o crescimento do Fundeb em 21,24%, porém no dia 31 de dezembro, através de simples Portaria, o órgão rebaixou a estimativa para 7,97%. E tudo indica que em 2013 o mesmo acontecerá.

Piso do magistério – Para a CNTE, que considera a primeira atualização do Piso em 2009 e que reivindica o compromisso da União em cobrir eventuais rebaixamentos do valor mínimo do Fundeb ao longo dos anos – pois a educação não deve sofrer retração de investimentos e cabe aos órgãos públicos federais zelar pela estimativa do Fundeb e seu cumprimento integral –, o valor do Piso em janeiro de 2013 equivale a R$ 2.327,81. Todavia, em considerando os rebaixamentos das estimativas do Fundeb – tal como ocorreu de forma descabida pela STN em 2009 e 2012, pois o órgão do Ministério da Fazenda dispõe de informações suficientes para evitar erros tão grosseiros – o Piso não deveria ficar abaixo de R$ 1.817,35, valor este que compreende a diferença efetiva entre o per capita do Fundeb de 2008 a 2013.

Valor do piso pelos cálculos do MEC

Ao arrepio da Lei, o MEC tem proposto a estados e municípios o reajuste do piso salarial do magistério sob outra via interpretativa do art. 5º da Lei 11.738, defendida no parecer da Advocacia Geral da União, que considera o crescimento do valor mínimo do Fundeb de dois anos anteriores à vigência atual.

Assim sendo, para efeito de atualização do Piso pelo critério da AGU/MEC, o valor do Piso em 2013 é de R$ 1.567, com base na Portaria nº 1.495, a qual rebaixou as estimativas de crescimento do Fundeb de 2012 para 7,97%.

A CNTE lembra a todos os sindicatos da educação básica pública que a atualização do Piso continua valendo a partir de 1º de janeiro de cada ano, independentemente de pronunciamento do índice de reajuste pelo Ministério da Educação, haja vista que a Lei 11.738 é autoaplicável. Ademais, nada obsta que os sindicatos contestem judicialmente o valor praticado com base no parecer da AGU/MEC (R$ 1.567), em face do valor defendido pela CNTE ou mesmo daquele verificado pela diferença percentual efetiva entre os valores per capita praticados entre 2008 e 2013.

Proposta defendida pela CNTE é a melhor para 2013

Na condição de Entidade representativa dos trabalhadores da educação básica pública no país, a luta da CNTE sempre pautou a valorização da carreira profissional de professores, especialistas e funcionário da educação, através de um piso salarial nacional decente e que reflita dignidade e respeito profissional, além de possibilitar a manutenção dos educadores nas redes de ensino (em uma só escola) e a atração de novos profissionais para as escolas públicas.

Atualmente, a principal referência para a valorização do Piso consiste na consolidação da meta 17 do projeto de Plano Nacional de Educação, em trâmite no Senado Federal, que prevê equiparar a remuneração média do magistério à de outras categorias profissionais com mesmo nível de escolaridade – vinculando definitivamente o piso à carreira profissional.

Neste sentido, importa destacar que a proposta de alteração do critério de atualização do Piso, construída coletivamente entre CNTE, Undime e Campanha Nacional pelo Direito à Educação – e a qual foi absorvida pelo relatório da Comissão Parlamentar da Câmara dos Deputados encarregada em discutir alternativas ao PL 3.776/08, que por sua vez prevê fixar o reajuste do piso unicamente ao INPC/IBGE – é a melhor pelas seguintes questões:

1. Garante o crescimento do Piso acima do percentual considerado pelo MEC de 7,97%. Pela proposta da CNTE, em 2013, o piso seria reajustado em 9,05%. Isso porque a receita consolidada do Fundeb deverá crescer 6,1% (e metade desse percentual ficaria reservado para o ganho real do Piso) e a inflação medida pelo INPC deverá ficar em 6% em 2012 (reposição esta garantida integralmente na proposta da CNTE).

2. Vincula o percentual de atualização do Piso ao crescimento da receita consolidada do Fundeb de dois anos anteriores, superando assim as vulneráveis estimativas da STN/Fazenda.

Confira aqui a íntegra da proposta defendida pela CNTE para a atualização do piso do magistério.

 
Facebook Twitter Youtube A Rádio pela Educação
 
 
 
Receba o Boletim
Weblinks das Afiliadas
Quadro de Greves
Giro pelos Estados
Moções
Galeria de Fotos
CNTE na CONAE 2010
Eventos anteriores
 
Fale conosco
Webmail CNTE
Campanhas anteriores
 
  CNTE TV
 
  Últimas notícias
 
30/10/2014 - 11:11
Com o fim do ano chegando, o Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação) de São Gabriel do Oeste fez um balanço dos últimos 21 meses de atuação sindical. Pontuando as conquistas e as lutas que ainda devem seguir, pode-se afirmar que a...
29/10/2014 - 12:26
pe-pernambuco-celebra-os-15-anos-da-campanha-nacional-pelo-direito-a-educacaoNo dia 5 de outubro, a Campanha Nacional pelo Direito à Educação completou 15 anos com uma trajetória marcada por importantes conquistas na luta pelo direito à educação pública, gratuita e de qualidade. Para comemorar, o Comitê Estadual da Campanha de...
24/10/2014 - 09:29
ms-apos-assembleia-trabalhadores-da-rede-municipal-de-amambai-entram-em-greve Demonstrando insatisfação com o tratamento que têm recebido do poder executivo municipal, os trabalhadores da rede municipal de ensino de Amambai aprovaram em assembleia geral o início de uma greve. A assembleia aconteceu na manhã de terça-feira...
23/10/2014 - 19:40
ms-fetems-esteve-em-sao-gabriel-do-oeste-para-assembleia-com-a-categoria A FETEMS participou na terça-feira (21), da Assembleia Geral do SIMTED (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação) de São Gabriel do Oeste. A delegada de base da CNTE(Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação), Idalina Silva, e a...
23/10/2014 - 18:03
Na tarde de ontem, 22/10, o SINTE/SC, através do Coordenador Estadual Luiz Carlos Vieira, do Secretário Geral Carlos Figueiredo e da Secretária de Organização Rosangela Barreiros, esteve reunido na Fundação Catarinense de Educação Especial – FCEE com o...
23/10/2014 - 12:56
O salário dos professores das redes estaduais do Brasil entrou no debate eleitoral na reta final da campanha, após acusações mútuas entre a presidente Dilma Rousseff (PT) e o senador Aécio Neves (PSDB) pela baixa remuneração dos docentes em alguns...
23/10/2014 - 11:34
Com 65% dos votos, a Chapa 1, “Compromisso, seriedade e ação em defesa da educação” foi declarada vencedora das Eleições do Sindicato do Magistério Municipal Público de Vitória da Conquista. O resultado foi divulgado por volta das 9 horas desta...
23/10/2014 - 11:16
Os professores da rede municipal de ensino de Amambai paralisaram as atividades nesta quinta-feira (23) em protesto ao não cumprimento a Lei do Piso Nacional. A medida, na verdade, se deve ao fato de a prefeitura se negar a implementar a política de...
22/10/2014 - 17:32
candidato-ao-governo-do-rs-ironiza-piso-do-magisterio Em recente e deplorável declaração ao site Terra (ver aqui http://miltonribeiro.sul21.com.br/2014/10/20/111sartori-manda-professores-buscarem-seu-piso-na-tumelero-veja-o-video/) o candidato ao governo do Estado do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori,...
21/10/2014 - 12:46
Os trabalhadores da Educação de Bodoquena estão lutando pela reforma do PCCR (Plano de Cargo, Carreira e Remuneração). Eles lutam por melhoria salarial, junção dos administrativos à educação, acréscimo de letras de acordo com a demanda, entre outras...
21/10/2014 - 11:34
O Governo de Minas iniciou, neste domingo, uma nova campanha publicitária. Nela são veiculadas informações falsas sobre a realidade da educação da rede estadual em Minas Gerais.Em respeito à população mineira, que é uma importante parceira em nossas...
 

Mais Giro pelos Estados...

 
   
 
Institucional
A CNTE
Estatuto
Diretoria 2014/2017
Entidades Filiadas
Caderno de Resoluções 2011
Caderno de Resoluções 2008
Secretarias
Aposentados e Assuntos Previdenciários
Formação
Relações de Gênero

Legislação
Educacional
Profissional
Lutas da CNTE
O PNE que o Brasil quer
Piso Salarial e Carreira
PDE
Fundeb
Projetos no Congresso
Reforma Tributária

Quadro de Greves

Galeria de Fotos
Publicações
Pesquisas
Revistas
Livros
Artigos

Escola de Formação
Retratos da Escola
Notícias
Eventos de Formação
Weblinks
Comunicação
CNTE Informa
CNTE Notícias
Notícias
Artigos
Releases

Fale conosco