BA: APLB denuncia política de austeridade do prefeito Neto

Publicado em Quarta, 04 Janeiro 2017 15:46

unnamed

É inacreditável o que estamos presenciando em Salvador, no momento em que o prefeito reeleito ACM Neto fecha o exercício de 2016, com prejuízos para os soteropolitanos e com uma grande dívida para servidores municipais. É dessa forma que estamos iniciando o ano de 2017!

Aqui vale fazermos uma análise dos principais pontos desta administração que renovou o mandato por mais quatro anos, ao tomar posse neste 1º de janeiro. Trata-se de um modelo de gestão que se alicerça nos interesses econômicos e empresariais.

Senão vejamos:

1 - Para Salvador e os soteropolitanos:

  • O PDDU (Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano), votado em junho de 2016: trata-se de um planejamento urbano que presta um desserviço para a nossa cidade e seus munícipes, uma vez que não prioriza as necessidades e demandas da maioria da população de Salvador, mas está voltado, objetivamente, para atender aos interesses dos grandes grupos econômicos, já que facilita a instalação de novos empreendimentos imobiliários na cidade, em especial na orla marítima, centro histórico, etc.;
  • A mudança ocorrida na tributação referente ao valor venal do IPTU em Salvador pesou mais para os moradores residentes nos bairros populares, em detrimento dos bairros nobres;
  • O PME (Plano Municipal de Educação-2016) foi aprovado sem nenhuma discussão com a sociedade, ou mesmo com os educadores. Com um conteúdo que não contempla a adoção de políticas públicas para as questões de gênero, sexualidade e raça (quando Salvador é considerada a cidade mais negra fora da África), o PME mostra o desinteresse desses temas para o prefeito reeleito.

2 - PARA OS SERVIDORES, EM ESPECIAL OS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO:

  • Temos denunciado incansavelmente a posição dessa administração, que se manteve inflexível, oferecendo ZERO POR CENTO de reajuste salarial aos servidores municipais, em 2016;
  • A Prefeitura descumpre a lei (LC 01/91 – Regime Jurídico Único dos Servidores da Prefeitura do Salvador – artigo 92), ao deixar de pagar o adicional de 1/3 de férias aos servidores junto com o salário de dezembro e, nesse caso, foram atingidos, principalmente, todos os professores e coordenadores pedagógicos, cujas férias são coletivas, nesse mês;
  • Nega direitos quando:
    Não publica as mudanças de nível, prejudicando professores e coordenadores pedagógicos que, em consequência, não vêm sendo remunerados de acordo com a titulação. Isto já vem acontecendo há mais de um ano;
  • Não libera as licenças para que os profissionais da educação possam fazer cursos de mestrado e doutorado. Entendemos ser uma prioridade para qualquer administração o aprimoramento desses profissionais, pois eleva a qualidade da educação no âmbito municipal;
  • Não concede a gratificação aos profissionais da educação que concluíram cursos de aperfeiçoamento, em percentuais de 2,5%, 5% e 7,5%;
  • Não autoriza a concessão de licenças prêmio para os servidores, mesmo sabendo que esse direito está previsto em lei;
  • Durante todo o ano inúmeras escolas funcionaram com grandes dificuldades, quer seja pela falta de pessoal de apoio, especialmente ADIs, quer seja pela falta de material didático, de limpeza e higiene, falta de segurança, dentre outras.

Como se não bastasse, os últimos fatos ocorridos nos deixam profundamente indignados! No dia 21 de dezembro o prefeito sancionou o aumento dos seus próprios subsídios, dos seus secretários e vereadores que começarão a vigorar em 1º de janeiro de 2017. No mesmo dia, anuncia o aumento da tarifa do transporte coletivo de R$ 3,30 para R$ 3,60.

Para este ano, mesmo a administração municipal anunciando que não haverá aumento do reajuste do IPTU com base na inflação, o contribuinte sentirá no bolso ao pagar este tributo, já que terá um aumento de 11,11%, pelo fato da prefeitura ter abolido o desconto do recadastramento. Terá também um aumento de 6,2% da Taxa de Coleta, Remoção e Destinação de Resíduos Sólidos Domiciliares – TRSD, popularmente chamada taxa de lixo, que vem embutida no IPTU (Matéria de Joyce de Souza, Jornal A Tarde, pag Economia).

O prefeito anuncia AUSTERIDADE na sua administração! Mas, qual é o significado dessa palavra? Na nossa língua mater, “austeridade”, no âmbito da gestão pública, significa adotar um maior rigor no controle de gastos. E quando um governo define seu plano de austeridade faz-se necessário o corte de despesas dispensáveis e/ou supérfluas, o que implica em priorizar as necessidades da população e avançar na perspectiva dos direitos sociais reconhecidos pela Constituição Federal.

Como uma administração pode ser austera se realiza uma megafesta de fim de ano pagando cachês milionários para artistas que cantam por apenas duas horas?
Na nossa leitura, essa austeridade anunciada pelo prefeito está sendo adotada apenas para o povo soteropolitano e para os servidores municipais.

Os ganhos que obtivemos, a exemplos do Plano de Carreira (2014) e a consequente implantação da reserva da jornada de trabalho (2016), foram resultados de muita luta!

Neste ano de 2017, vamos precisar de muita persistência e do comprometimento de cada um de nós, na luta pela nossa valorização, pela manutenção e ampliação dos nossos direitos, por uma educação que alcance o patamar de qualidade que desejamos e, assim, desempenharmos bem o nosso papel de educadores.

Há um ditado popular que diz “a corda quebra sempre pra o lado mais fraco”. Não aceitaremos essa corda frágil! Não deixaremos que nos suponham fracos!

A corda que chamamos de RESISTÊNCIA precisa ser puxada por todos nós, do mesmo lado, juntos, com o mesmo objetivo, com a mesma finalidade! Não vamos permitir que essa corda quebre pra o lado de cá por conta das medidas impostas pelo usurpador Temer e pelo Prefeito ACM Neto!

À luta, sempre!

(APLB Sindicato, 04/01/2017)

 
 
  15/01/2018
Boletim CNTE 809
As ações de resistência para defender a democracia: a pauta em 2018 é ampliar a luta!!
INFORMATIVO CNTE 809  
 
 
INSTITUCIONAL CNTE | Resistência e Convocação para a Conape 2018 (01/12/2017)
 
 

Programa 597: CNTE faz balanço das lutas de 2017

 
 

Nota Pública: Paulo Freire continua sendo o patrono da educação brasileira

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) cobrou da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) a posse dos aprovados no concurso público de 2017. Na reunião, foi informado que o...
Sinteal e trabalhadoras/es em educação da rede pública municipal de Maceió, em assembleia realizada na tarde desta 3ª feira (16/01), na sede do sindicato, no bairro do Mutange, deram início às lutas da...
O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), subsede de Ipatinga, protocolou na Comissão Interamericana de Direitos Humanos, denúncia sobre a situação envolvendo os...
Pela primeira vez na história de atuação do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) em Paranatinga (373 km de Cuiabá), o Sindicato foi convidado para reunião com o chefe do...
O Sinteal conquistou, na justiça, uma vitória na defesa da Gestão Democrática das escolas públicas estaduais de Alagoas. Em decisão do dia 13 de janeiro, o juiz Ayrton de Luna Tenório concedeu liminar...
Foto:Ricardo Stuckert/Instituto Lula Antes do Governo do Lula, os(as) Funcionários(as) da Educação não tinham direito à política de formação continuada e nem eram reconhecidos(as) como...
Diante de resultados de inúmeras pesquisas sobre a educação brasileira, desde as inquietantes reflexões de Anísio Teixeira e Paulo Freire às últimas pesquisas da OCDE - Organização para a...
Os trabalhadores e trabalhadoras em educação, reunidos em assembleia geral na última quarta-feira (10), discutiram sobre a Campanha Salarial 2018, com base no índice de reajuste de 6,81% do Piso Nacional do Magistério...
O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) faz o alerta de mais uma prática do governo Taques para promover o desmonte da escola pública, de gestão pública, gratuita, laica e de...
Após inúmeras comunicações encaminhadas à Seduc e sem nenhuma reposta, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado do Tocantins (Sintet), José Roque Santiago protocolizou...
O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) foi convidado para uma reunião na tarde de quarta-feira (10) com a Casa Civil e a Secretaria de Estado da Educação, para ser comunicado que os 40 mil...
Dando início à campanha salarial 2018 na rede pública municipal de educação de Maceió, o Sinteal já encaminhou à Secretaria Municipal de Educação (Semed), na pessoa da titular da...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.