MT: Educadores de cinco regiões de MT aderem à paralisação nacional

Publicado em Segunda, 13 Novembro 2017 10:21

Canabrava do Norte

Trabalhadoras e trabalhadores da Educação das 15 regionais do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) aderiram à paralisação nacional realizada na sexta-feira (10/11). Os protestos ocorreram nas ruas, escolas e praças, onde o objetivo foi alertar a população sobre os retrocessos trazidos pela “reforma” trabalhista, que entrou em vigor no último sábado (11/11), e a “reforma” da Previdência, que atualmente tramita no Congresso Nacional.

As fortes chuvas que caíram na Capital e região no período da tarde reduziu mas não desanimou os manifestantes que se reuniram em Cuiabá, na Praça Alencastro. O protesto mobilizou além de educadores, bancários, trabalhadores da indústria, profissionais da Saúde, servidores públicos, estudantes e movimentos sociais. No ato foi reforçada a importância da Campanha Nacional pela anulação da “reforma’ trabalhista, que recolhe assinaturas em todo o país para apoiar o projeto de lei de iniciativa popular que revoga a Lei nº 13.467/2017, mais conhecida como “reforma” trabalhista.

Na Baixada Cuiabana os profissionais da Educação nos municípios de Acorizal Chapada dos Guimarães, Poconé, Nossa Senhora do Livramento e Jangada paralisaram as atividades por 24 horas, além de realizarem debates nas escolas e atos públicos.

Em Rondonópolis, regional Sul, os/as profissionais da educação realizaram um ato público na Praça Brasil e depois caminharam pelo Centro com faixas e cartazes. Em Pedra Preta, as “reformas” foram discutidas durante assembleia geral da Educação na Escola Estadual 10 de dezembro. No município de Jaciara, o debate também aconteceu durante uma assembleia. Em Primavera do Leste a campanha foi divulgada nas escolas e para encerrar o dia, os profissionais da Educação de São Pedro da Cida realizam protesto na praça central.

No Nortão, Alta Floresta reuniu educadores em assembleia para discutir as “reformas” trabalhista e da Previdência. Em Sinop, o ato público ocorreu em frente à Prefeitura, além da paralisação das atividades escolares por 24 horas. No município de Cláudia durante a manhã foi realizado um ato público e à tarde o debate foi realizado no campus da Unemat. A rede municipal e as escolas estaduais em Peixoto de Azevedo também aderiram à paralisação nacional, além da realização de um ato público na praça central. Também paralisaram as atividades as escolas localizadas em Colíder, Nova Guarita e Nova Santa Helena.

Em Barra do Bugres, Nova Olímpia, Tangará da Serra, Denise, Arenápolis e Santo Afonso, no Médio Norte de Mato Grosso, os trabalhadores da Educação realizaram atos públicos na região central de cada município. No Noroeste do estado foram realizados encontros para o debate e reflexão sobre as “reformas”, em Colniza e Juína (que também teve paralisação de 24 horas nas escolas). Canabrava do Norte representou a região Leste com café da manhã e reunião para os trabalhadores e trabalhadoras.

“Projetos como as 'reformas' trabalhista e da Previdência só trazem prejuízos aos trabalhadores por retirarem direitos que são fruto de muita luta. Apenas com a organização e mobilização da classe trabalhadora irá impedir esses retrocessos. Não iremos nos calar”, afirma o presidente do Sintep/MT, Henrique Lopes.

(Sintep/MT, 13/11/2017)

 
 
  19/06/2018
Boletim CNTE 815
Instituto divulga relatório sobre o PNE e os resultados tendem a piorar
INFORMATIVO CNTE 815  
 
 
Heleno Araújo conclama categoria para apoiar greve dos eletricitários
 
 

Programa 602: Heleno Araújo participa de audiência pública no senado sobre violência nas escolas

 
 

Nota Pública: Lei da Mordaça (“Escola Sem Partido”) é inconstitucional, antidemocrática e antipedagógica

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Em uma data histórica para a luta sindical em Alagoas, os/as servidores/as públicos/as municipais de Maceió, organizados por suas entidades (Sinteal, SindPrev, SindsPref, Saseal, entre outras; apoiadas pela CUT/AL), realizaram, na...
Representado por diretores/as da executiva estadual, o Sinteal participou, na manhã desta segunda-feira (16), de ato público em favor da garantia da destinação dos 60% (sessenta por cento) dos recursos dos precatórios...
A formatura de 74 novos professores do estado de Guerrero, no México, em 13 de julho, não estava completa. Faltavam os 43 estudantes da Escola Normal Rural Raul Isidro Burgos, desaparecidos em 26 de setembro de 2014. O nome de cada um foi...
Na última sexta, dia 13, comemoramos, em Assembleia festiva, uma série de avanços conquistados nas negociações da pauta reivindicatória 2018 (7% de aumento, a equiparação do auxiliar de classe com...
Nesta segunda-feira (16) completa o sexto dia da greve da Educação Municipal de Salvador que teve início na quarta-feira (11). A mobilização e disposição de luta continua firme e crescendo, apesar das...
Os servidores que foram contratados até 15 de março de 1987 e que mudaram de regime de celetistas para estatutários serão beneficiados pela transposição com a conversão da Medida Provisória 817 na...
Em assembleia geral organizada pelo Sinteal e núcleo regional, realizada nesta 6ª feira (13), as/os trabalhadoras/es em educação da rede municipal aprovaram o reajuste de 6,81% proposto pelo gestor, mas definiram também...
Lu Sudré Enquanto o salário mínimo brasileiro é de R$ 954, há quem receba um salário maior do que R$ 3 milhões mensalmente. É o que mostram dados da Comissão de Valores...
Na última quinta-feira (12/07/18) ocorreu uma agenda de reunião entre o Governo do Estado e o Sind-UTE/MG.Durante a reunião, o Sindicato cobrou soluções para o atraso e parcelamentos dos salários dos/as...
NOTA PÚBLICA O Governo Pinho Moreira (MDB) anunciou, em 12/07, que fará o parcelamento da metade do 13º salário dos servidores estaduais, sob o pretexto de contenção de despesas e controle de gastos. O valor...
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação manifesta total e veemente repúdio ao tratamento inaceitável porquanto agressivo, misógino e discriminatório, dispensado à deputada...
Em meio a tantas dúvidas e informações desencontradas sobre o tema, o Sinteal realizou nesta quinta-feira (12), um Seminário sobre problemas e perspectivas sobre os recursos do FUNDEF. O evento aconteceu no Espaço...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.