Sindicatos da educação da América do Sul discutem sobre como desenvolver a igualdade de gênero nas suas organizações

Publicado em Sexta, 16 Junho 2017 10:10

fatima1

A Educação Internacional na América Latina (IEAL) começou o encontro "Mulheres em posições de poder" da rede Trabalhadores de Educação para a Região Andina e do Cone Sul, em Assunção, Paraguai. Lá, as afiliadas ao IEAL discutiram os principais obstáculos para uma maior participação das mulheres e a necessidade de uma política de igualdade de gênero para as suas estruturas internas.

Mulheres em posições de poder: a democracia, a política pública e o gênero

Fátima Silva, vice-presidente do Comitê Regional da IEAL e secretária geral da CNTE, no Brasil, recordou a importância da unidade regional, particularmente neste momento em que ocorrem ataques ao neoliberalismo, e direitos dos trabalhadores retrocedem.

"Para esta atividade, trazemos um tema: as mulheres em posições de poder. Por que isso importa? Para incentivar políticas públicas que defendemos. Nós vamos ter estes dois dias de trabalho para refletir e orientar as políticas públicas para com aqueles que precisamos. Estou certa de que, sempre que nos encontramos, construímos laços de solidariedade. Nós sabemos em primeira mão o contexto político e as lutas em diferentes países da região. Isso nos fortalece, nos informa e nos empodera ", disse Fátima.

Combertty Rodríguez, principal coordenador da IEAL, advertiu a necessidade de que os sindicatos tenham políticas de igualdade internamente em suas estruturas porque, embora existam organizações onde há posições de liderança ocupadas por mulheres, isso não é garantido por uma política, de forma estrutural.

Mulheres na política paraguaia e na América Latina

Lilian Soto, médica e líder política, orientou uma exposição e um debate sobre a questão da violência de gênero e os direitos humanos, em que ele fez um relato histórico do papel das mulheres na política no Paraguai. Ele resumiu que, em grande parte da história do Paraguai, as mulheres não tiveram seus direitos civis reconhecidos, mas foram protagonistas da luta, a da proposta política e do pensamento crítico.

O aumento da presença das mulheres nos espaços políticos no Paraguai tem sido lenta: 3% ao ano para 16,8% no parlamento nacional hoje. Na grande maioria dos países latino-americanos, o percentual é de cerca de 30%, exceto para Bolívia e Cuba, onde a paridade no Legislativo é garantida por lei. No entanto, nessas regiões, aparece o fenômeno da violência política, onde a discussão de questões políticas se converte em discussão do corpo e da aparência, com ameaças pessoais e sexuais em muitos casos.

Soto concluiu afirmando que é necessária uma nova distribuição mais justa das relações de poder em que um novo contrato social seja necessário para alcançar a paridade real.

"Esse contrato social deve ser analisado em detalhes. Não basta dizer, não basta o discurso, há que ver como ele é feito e onde, com cada aspecto bem definido, para garantir que seja apenas um conjunto, mas mecanismos para assegurar a paridade em todos os aspectos do sistema democrático. Essa é uma abordagem que dá um novo conceito à democracia, porque, se analisada em profundidade, é evidente que a democracia falhou em reconhecer todas as pluralidades: mulheres, indígenas, camponeses. Esta é uma medida que deve ser permanente e deve proteger os direitos dos homens, buscar a igualdade de participação. Quando isso existir, poderá se falar de políticas públicas, se as mulheres não estão, não podemos discutir. "

O encontro foi organizado pela IEAL em conjunto com as organizações de acolhimento OTEP-A e UNE-SN, com a cooperação de Lärarförbundet Suécia, Utdannings Förbundet norueguês, Federação dos professores canadenses (CTF) do Canadá e Associação Nacional de Educação (NEA) dos Estados Unidos.

isis rosilene1

Informações da Internacional de La Educación para América Latina (IE)

 
 
  15/01/2018
Boletim CNTE 809
As ações de resistência para defender a democracia: a pauta em 2018 é ampliar a luta!!
INFORMATIVO CNTE 809  
 
 
INSTITUCIONAL CNTE | Resistência e Convocação para a Conape 2018 (01/12/2017)
 
 

Programa 597: CNTE faz balanço das lutas de 2017

 
 

Nota Pública: Paulo Freire continua sendo o patrono da educação brasileira

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Trabalhadores e trabalhadoras da rede municipal de Educação de Sinop denunciam que a atual gestão se nega a cumprir o Plano Municipal de Educação (PME), enquanto deixa os recursos da Educação parados na...
O Coletivo de Mulheres do Sinte-PI esteve reunido na manhã desta quinta-feira (18) na sede do sindicato para tratar de pautas importante e urgentes para o segmento. Estiveram presentes representantes dos Núcleos Regionais de Água...
O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) cobrou da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) a posse dos aprovados no concurso público de 2017. Na reunião, foi informado que o...
Sinteal e trabalhadoras/es em educação da rede pública municipal de Maceió, em assembleia realizada na tarde desta 3ª feira (16/01), na sede do sindicato, no bairro do Mutange, deram início às lutas da...
O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), subsede de Ipatinga, protocolou na Comissão Interamericana de Direitos Humanos, denúncia sobre a situação envolvendo os...
Pela primeira vez na história de atuação do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) em Paranatinga (373 km de Cuiabá), o Sindicato foi convidado para reunião com o chefe do...
O Sinteal conquistou, na justiça, uma vitória na defesa da Gestão Democrática das escolas públicas estaduais de Alagoas. Em decisão do dia 13 de janeiro, o juiz Ayrton de Luna Tenório concedeu liminar...
 As inscriçõess para o Fórum Social Mundial 2018 (FSM 2018) já estão abertas no site www.fsm2018.org. Os interessados podem se inscrever nas modalidades: Participante, Comitê e Grupo de Trabalho, Entidade,...
Foto:Ricardo Stuckert/Instituto Lula Antes do Governo do Lula, os(as) Funcionários(as) da Educação não tinham direito à política de formação continuada e nem eram reconhecidos(as) como...
Diante de resultados de inúmeras pesquisas sobre a educação brasileira, desde as inquietantes reflexões de Anísio Teixeira e Paulo Freire às últimas pesquisas da OCDE - Organização para a...
Os trabalhadores e trabalhadoras em educação, reunidos em assembleia geral na última quarta-feira (10), discutiram sobre a Campanha Salarial 2018, com base no índice de reajuste de 6,81% do Piso Nacional do Magistério...
O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) faz o alerta de mais uma prática do governo Taques para promover o desmonte da escola pública, de gestão pública, gratuita, laica e de...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.