CNTE participa de audiência pública sobre a Educação nos 30 anos da Constituição

Publicado em Sexta, 15 Junho 2018 14:15

 

20180515 audiencia constituicao

Na manhã desta sexta-feira (15), a secretária de finanças da CNTE, Rosilene Corrêa Lima, participou da audiência pública, promovida pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado, que debateu a Educação nos 30 anos da Constituição Federal. O senador Paulo Paim (PT-RS), que solicitou a audiência, observou que a educação é um direito de todos e um dever do Estado assegurado pela Constituição, mas ponderou que o acesso à universalização e à qualidade da educação ainda são desafios.

A secretária da CNTE, Rosilene Lima, abordou a necessidade de fazer valer a Constituição: "A lei é importante, mas não basta. Por exemplo: nós não fizemos a Democratização da Comunicação. É preciso ter vontade política". Rosilene explica que, apesar dos avanços da Constituição de 88, o Brasil passou pela gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que aplicou uma política de estado mínimo, empobrecendo a população: "Naquela época, havia um festival de faculdade particular abrindo sem critério, sem formação adequada. Muitas não chegavam a concluir o processo de validação, deixando alunos na mão, sem diploma", relembrou.

Outro aspecto criticado foi a dificuldade de acesso à escola, que ainda persiste: "Hoje ainda temos uma demanda de educação infantil que não é atendida. Temos escolas de jovens e adultos fechadas a cada semestre. A permanência é dificultada e o acesso também", denuncia Rosilene Lima. Andressa Pellanda, representante da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, ressaltou: "Temos 2 milhões de adolescentes fora das escolas, que devem ser mais acessíveis, mais atrativas e menos excludentes. Quando a gente fala de exclusão escolar, estamos falando de um golpe: todas as tentativas de trazer igualdade de gênero e sexual na escola são vetadas pelo atual governo e por projetos de lei que impedem o cumprimento dos princípios constitucionais".

Rosilene Lima conclamou: "É preciso revogar a Emenda Constitucional 95. O congelamento está determinando para a educação, uma área que sequer cumpre a Lei do Piso Nacional, sem contar a dívida imensa do estado em relação ao acesso à educação e à permanência na escola". Andressa Pellanda detalhou: "Até hoje não temos a aplicação do custo-aluno qualidade inicial. Ele foi composto pela sociedade civil e prevê um cálculo de investimento que ainda está distante de ser cumprido porque hoje a gente investe de dois a cinco vezes menos do que deveria ser investido".
 
Ensino Médio
 
"Hoje há uma propaganda enganosa sobre a reforma do ensino médio. Na verdade os nossos meninos e meninas não percebem o que está sendo retirado deles", destacou Rosilene Lima. A secretária de finanças da CNTE destaca que essa reforma pretende atender o mercado, que busca uma mão de obra intermediária. "Não podemos ter uma escola que impõe esse limite ao aluno no ensino médio. Temos que formar cidadãos que tenham condições de ir além, que possam desenvolver capacidade crítica", alertou.

Mauricio do Valle, coordenador do Mestrado em Direito da Universidade Católica de Brasília, defendeu a importância da formação propedêutica da base, isto é, oferecer matérias como sociologia, filosofia e estímulo ao pensamento crítico antes do aluno chegar ao ensino superior. 

O professor Erlando da Silva Rêses, representante do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes), fez um histórico sobre a defesa de uma educação laica, obrigatória e gratuita e teceu críticas sobre o projeto Escola Sem Partido e o processo de privatização que vem ocorrendo na educação. "Tudo isso está destruindo o que temos na Constituição Federal, e o que temos historicamente conquistado, que é a formação crítica e cidadã", ressalta.

André Santos Gonçalves, da Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra), avalia que há um golpe na constituição principalmente na questão financeira: "Se a Emenda Constitucional não for derrubada, nós teremos 20 anos de atraso. E nós, enquanto atores da educação desse país, temos a obrigação de defender a educação pública, gratuita e de qualidade".
 
 
  19/06/2018
Boletim CNTE 815
Instituto divulga relatório sobre o PNE e os resultados tendem a piorar
INFORMATIVO CNTE 815  
 
 
Heleno Araújo conclama categoria para apoiar greve dos eletricitários
 
 

Programa 602: Heleno Araújo participa de audiência pública no senado sobre violência nas escolas

 
 

Nota Pública: Lei da Mordaça (“Escola Sem Partido”) é inconstitucional, antidemocrática e antipedagógica

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Em uma data histórica para a luta sindical em Alagoas, os/as servidores/as públicos/as municipais de Maceió, organizados por suas entidades (Sinteal, SindPrev, SindsPref, Saseal, entre outras; apoiadas pela CUT/AL), realizaram, na...
Representado por diretores/as da executiva estadual, o Sinteal participou, na manhã desta segunda-feira (16), de ato público em favor da garantia da destinação dos 60% (sessenta por cento) dos recursos dos precatórios...
A formatura de 74 novos professores do estado de Guerrero, no México, em 13 de julho, não estava completa. Faltavam os 43 estudantes da Escola Normal Rural Raul Isidro Burgos, desaparecidos em 26 de setembro de 2014. O nome de cada um foi...
Na última sexta, dia 13, comemoramos, em Assembleia festiva, uma série de avanços conquistados nas negociações da pauta reivindicatória 2018 (7% de aumento, a equiparação do auxiliar de classe com...
Nesta segunda-feira (16) completa o sexto dia da greve da Educação Municipal de Salvador que teve início na quarta-feira (11). A mobilização e disposição de luta continua firme e crescendo, apesar das...
Os servidores que foram contratados até 15 de março de 1987 e que mudaram de regime de celetistas para estatutários serão beneficiados pela transposição com a conversão da Medida Provisória 817 na...
Em assembleia geral organizada pelo Sinteal e núcleo regional, realizada nesta 6ª feira (13), as/os trabalhadoras/es em educação da rede municipal aprovaram o reajuste de 6,81% proposto pelo gestor, mas definiram também...
Lu Sudré Enquanto o salário mínimo brasileiro é de R$ 954, há quem receba um salário maior do que R$ 3 milhões mensalmente. É o que mostram dados da Comissão de Valores...
Na última quinta-feira (12/07/18) ocorreu uma agenda de reunião entre o Governo do Estado e o Sind-UTE/MG.Durante a reunião, o Sindicato cobrou soluções para o atraso e parcelamentos dos salários dos/as...
NOTA PÚBLICA O Governo Pinho Moreira (MDB) anunciou, em 12/07, que fará o parcelamento da metade do 13º salário dos servidores estaduais, sob o pretexto de contenção de despesas e controle de gastos. O valor...
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação manifesta total e veemente repúdio ao tratamento inaceitável porquanto agressivo, misógino e discriminatório, dispensado à deputada...
Em meio a tantas dúvidas e informações desencontradas sobre o tema, o Sinteal realizou nesta quinta-feira (12), um Seminário sobre problemas e perspectivas sobre os recursos do FUNDEF. O evento aconteceu no Espaço...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.