O ataque à escola de Suzano e o incentivo à violência

Publicado em Quarta, 13 Março 2019 14:48

banners nota publica 2

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, manifesta sua consternação ao ataque ocorrido na Escola Raul Brasil, em Suzano/SP.

Juntamente com o sentimento de solidariedade com educadores/as e estudantes, e suas famílias, o ataque realizado nos remete à reflexão sobre a violência já incentivada na campanha eleitoral para presidente, quando o então candidato Jair Bolsonaro e seus seguidores, faziam gestos de armas atirando.

Desde então, violência se agravou no país, ampliando seus tentáculos sendo que sua manifestação se tornou mais forte após a posse do atual presidente.

As expressões constantes, sejam em gestos ou em palavras, ratifica ideia de que solução de conflitos e diferenças se dão pela violência.

Os exemplos são desconcertantes: pessoas assassinadas, uma onda de feminicídios, ataques homofóbicos, homens e mulheres que lutam por um país melhor indo embora em virtude de ameaças contra suas próprias vidas e as de seus familiares.

O ataque à Escola de Suzano não está descolado da violência institucionalizada no Brasil. As pessoas, por meio de gestos realizados pelo Governo, seus eleitores e seus admiradores, se sentem autorizadas a agredir e a matar, semeando um rio de sangue pelo país afora.

Como se isso não bastasse, Jair Bolsonaro publica Decreto que altera regras para a posse de armas, ampliando, de modo ilegal e inconstitucional, as hipóteses de registro, posse e comercialização de armas de fogo, além de comprometer a política de segurança pública - direito fundamental de todas as pessoas, especialmente no tocante ao direito à vida.

As ações do atual governo e seus asseclas incentivam a violência. E os mais atingidos são pobres, negros, mulheres, homossexuais. Enfim, as pessoas que já carregam as mais diversas discriminações são afetadas de forma direta.

E, mais diretamente na educação, além da violência física vivenciada por muitos/as professores/as, o Ministério da Educação orienta alunos que filmem as aulas com o intuito de cercear a liberdade de cátedra. A censura também é uma forma de violência.

E mais, a militarização das escolas é apontada como solução para a violência que acontece na comunidade escolar. A violência não é gerada na escola. A violência nesse espaço é consequência do ambiente comunitário e social em seu entorno.

O círculo vicioso da violência no Brasil precisa ser rompido. O princípio de seu combate à se dá com políticas públicas para diminuir a desigualdade social, ao contrário do que Bolsonaro e seus ministros têm feito.

Pelo fim da violência no país, nas comunidades e na escola!

Por políticas públicas que combatam a violência em sua origem e não em suas consequências!

Por políticas públicas que diminuam as desigualdades!

Por uma escola pública democrática, de qualidade e com liberdade de cátedra!

Brasília, 13 de março de 2019.

Direção Executiva

 
 
  13/05/2019
Boletim CNTE 835
Rumo à greve geral da classe trabalhadora em 14 de junho!
INFORMATIVO CNTE 835  
 
 
Presidente da CNTE Heleno Araújo fala sobre a Greve Nacional da Educação
 
 

Programa 611 - Lançamento da 20ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública

 
 

Análise da CNTE sobre o Fundeb - PEC 65/2019

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) | A Agência Sindical segue debatendo a reforma da Previdência. Desta vez, entrevistamos Antônio Augusto de Queiroz, jornalista, assessor político e diretor...
Cerca de 5 mil manifestantes participaram da Greve Nacional da Educação em Divinópolis (MG), que envolveu muitos segmentos sociais, sindicalistas, todas as redes de ensino, e muitos estudantes e principalmente a Comunidade escolar.A...
O Movimento Unificado dos Servidores Públicos de Maceió realizou assembleia geral com as categorias, na manhã desta sexta-feira (17), na Praça Dois Leões, em Jaraguá, oportunidade para as lideranças...
Dia 15 de maio foi um dia histórico, o Sinproesemma junto com trabalhadores em educação, centrais sindicais, estudantes e movimentos sociais saíram às ruas para protestar contra as medidas do governo Jair Bolsonaro e...
"Ninguém solta a mão de ninguém" é o tema da campanha da CNTE pelo Dia Nacional e Internacional de Luta Contra a LGBTfobia. A data comemorativa foi instituída quando a Organização das...
Aproximadamente cinco mil pessoas participaram das manifestações em frente a Assembleia Legislativa, em Palmas O Dia 15 de maio foi marcado por “aulas nas ruas”, milhares de trabalhadores e trabalhadoras em...
Entidades sindicais que defendem os trabalhadores da Educação, centrais sindicais, movimentos estudantis, movimentos sociais e trabalhadores foram às ruas nesta quarta-feira (15), defender o financiamento permanente...
A greve nacional da Educação, nesta quarta-feira (15.05), em Mato Grosso, mobilizou mais de sete mil pessoas na Capital e milhares por todo o estado. Atos Públicos, passeatas, carreatas, debates, mobilizados pelo Sindicatos dos...
Trabalhadores da educação e estudantes estiveram nas ruas nesta quarta-feira (15) em protesto às políticas do governo Bolsonaro, como o corte de recursos da educação e a reforma da Previdência. Em...
Dia 15 de maio foi um dia de mobilização em defesa da educação pública, contra os cortes de investimento na educação e contra a reforma da previdência. Pela manhã participamos de atividades de...
Liderados pelo Sindeducação, os professores da Rede Pública Municipal aderiram em massa à Greve Geral da Educação convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação...
Neste dia 15 de março, dia da Greve Nacional da Educação, o Sintero em parceria com a UNIR (Universidade Federal de Rondônia), IFRO (Instituto Federal de Rondônia) e outras categorias participaram de Ato Unificado em...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.