Nota pública: Apoio à paralisação nacional dos educadores/as argentinos/as em 3 de julho

Publicado em Quinta, 28 Junho 2018 13:37

banners nota publica 2

Tempos sombrios rondam a América Latina e Estado de Exceção se amplia na Argentina, com forte repressão política aos trabalhadores da educação. Todo apoio aos educadores/as argentinos/as e às suas entidades de representação sindical! Todo apoio à paralisação nacional do próximo dia 03 de julho!

Não é de hoje que estamos a denunciar o incremento da repressão política em toda nossa região. A retomada do projeto neoliberal em toda a América Latina só pode dar-se mesmo a partir da imposição das forças brutas de segurança nacionais. Os/as trabalhadores/as e o povo de nossos países rejeitam a destruição de direitos e a entrega de nossos patrimônios nacionais e todo esse conjunto de ações dos atuais governantes só pode prosperar, em alguma medida, com o uso da força. Assim nossos governantes entendem e fazem. Definitivamente, são avessos ao diálogo e ao debate. Definitivamente, não gostam de democracia.

O caso mais recente do uso abusivo das forças de segurança para reprimir os trabalhadores em luta deu-se, agora, na Argentina. No último dia 26 de junho, na província de Chubut, na Patagônia argentina, os/as docentes da ATECH (Associação dos Trabalhadores da Educação de Chubut), quando acompanhavam a reunião da Paritária provincial (mesa de negociação) do lado de fora da sede do governo, foram atacados pela polícia de forma violenta e desproporcional, com uso de gás de pimenta e golpes deferidos contra os/as trabalhadores/as. A solução de conflitos não pode ser resolvida à base da força.

Pouco antes, caso similar de brutal repressão aconteceu também em Corrientes, outra província argentina. Dessa vez, toda a brutalidade policial contra os/as trabalhadores/as começou quando, à frente da sede do governo provincial, companheiros/as do SUTECO (Sindicato Único dos Trabalhadores da Educação de Corrientes) tentavam montar uma barraca para reivindicar aumentos salariais e melhorias nas condições de trabalho. Isso porque nessa província, a exemplo do caso federal, os/as trabalhadores/as exigem a instalação e funcionamento da Paritária Nacional Docente e da Paritária Provincial (mesas de negociação nacional e provincial), que sequer existem. Isso bastou para que a truculência da polícia atingisse homens e mulheres que ali estavam apenas exercendo o seu legítimo direito à manifestação.

O mais estarrecedor é o caso de Buenos Aires, onde estão distribuindo nas escolas da capital uma espécie de guia de como proceder quando as forças de segurança solicitarem informações ou a retirada (!!!) de algum estudante da escola. A direita neoliberal não tem mais limites éticos e por isso repudiamos e denunciaremos esse caso estarrecedor ao mundo!

É urgente que o ministro argentino da educação assuma sua condição de ministro! A educação não se faz sem educadores/as! Os/as trabalhadores/as em educação não porão fim às suas reivindicações e mobilizações com o aumento da repressão! Ao contrário, a repressão só atiçará o movimento de resistência em todo o país.

O incremento da repressão é o caso mais evidente da consolidação do Estado de Exceção verificado em vários países de nossa região. Por isso todo apoio à Paralisação Nacional do próximo dia 03 de julho, convocada para acontecer em Buenos Aires, com mobilização no Ministério da Educação! Como repetido pelas principais lideranças da CTERA (Confederação dos Trabalhadores em Educação da Argentina), a repressão é o limite! Se tocam em um, tocam em todos!

Brasília, 28 de junho de 2018

Diretoria Executiva da CNTE

 
 
  19/06/2018
Boletim CNTE 815
Instituto divulga relatório sobre o PNE e os resultados tendem a piorar
INFORMATIVO CNTE 815  
 
 
Heleno Araújo conclama categoria para apoiar greve dos eletricitários
 
 

Programa 602: Heleno Araújo participa de audiência pública no senado sobre violência nas escolas

 
 

Nota Pública: Lei da Mordaça (“Escola Sem Partido”) é inconstitucional, antidemocrática e antipedagógica

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Em uma data histórica para a luta sindical em Alagoas, os/as servidores/as públicos/as municipais de Maceió, organizados por suas entidades (Sinteal, SindPrev, SindsPref, Saseal, entre outras; apoiadas pela CUT/AL), realizaram, na...
Representado por diretores/as da executiva estadual, o Sinteal participou, na manhã desta segunda-feira (16), de ato público em favor da garantia da destinação dos 60% (sessenta por cento) dos recursos dos precatórios...
A formatura de 74 novos professores do estado de Guerrero, no México, em 13 de julho, não estava completa. Faltavam os 43 estudantes da Escola Normal Rural Raul Isidro Burgos, desaparecidos em 26 de setembro de 2014. O nome de cada um foi...
Na última sexta, dia 13, comemoramos, em Assembleia festiva, uma série de avanços conquistados nas negociações da pauta reivindicatória 2018 (7% de aumento, a equiparação do auxiliar de classe com...
Nesta segunda-feira (16) completa o sexto dia da greve da Educação Municipal de Salvador que teve início na quarta-feira (11). A mobilização e disposição de luta continua firme e crescendo, apesar das...
Os servidores que foram contratados até 15 de março de 1987 e que mudaram de regime de celetistas para estatutários serão beneficiados pela transposição com a conversão da Medida Provisória 817 na...
Em assembleia geral organizada pelo Sinteal e núcleo regional, realizada nesta 6ª feira (13), as/os trabalhadoras/es em educação da rede municipal aprovaram o reajuste de 6,81% proposto pelo gestor, mas definiram também...
Lu Sudré Enquanto o salário mínimo brasileiro é de R$ 954, há quem receba um salário maior do que R$ 3 milhões mensalmente. É o que mostram dados da Comissão de Valores...
Na última quinta-feira (12/07/18) ocorreu uma agenda de reunião entre o Governo do Estado e o Sind-UTE/MG.Durante a reunião, o Sindicato cobrou soluções para o atraso e parcelamentos dos salários dos/as...
NOTA PÚBLICA O Governo Pinho Moreira (MDB) anunciou, em 12/07, que fará o parcelamento da metade do 13º salário dos servidores estaduais, sob o pretexto de contenção de despesas e controle de gastos. O valor...
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação manifesta total e veemente repúdio ao tratamento inaceitável porquanto agressivo, misógino e discriminatório, dispensado à deputada...
Em meio a tantas dúvidas e informações desencontradas sobre o tema, o Sinteal realizou nesta quinta-feira (12), um Seminário sobre problemas e perspectivas sobre os recursos do FUNDEF. O evento aconteceu no Espaço...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.