Rádio
 
TV CNTE
 
Portuguese English French Spanish
 
 
     
 
       
   
 
     
 
 
 
     
 

MT: Em estado de greve, educação de Sinop aguarda aprovação do PCCS

Publicado em Quinta, 18 Novembro 2010 11:13

Prefeito tem até o dia 23 para encaminhar minuta do plano

Os trabalhadores da educação de Sinop, a 500 km de Cuiabá, estão em estado de greve. A decisão foi tomada pela assembleia geral, no dia 09 de novembro, quando 90% das unidades escolares paralisaram as atividades. A categoria cobra do prefeito Juarez Costa um posicionamento quanto ao Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS). As reivindicações são: redução da jornada de trabalho para 30 horas, e inclusão de todos os servidores no plano com a manutenção do piso de R$ 1266,92 para nível médio.

A reunião também aprovou a proposta do Executivo Municipal de formar uma comissão mista entre membros da subsede do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) e a equipe técnica da prefeitura para realizar estudos sobre o piso salarial. As análises serão concluídas até o dia 23 de novembro, quando o gestor deverá encaminhar a minuta do PCCS à Câmara Municipal, assegurando as reivindicações da categoria.

Segundo a presidente da subsede de Sinop, Sidinei de Oliveira, até o momento não há sinalização por parte do prefeito para a implantação do plano. Uma nova assembleia geral está marcada para o dia 25 de novembro, a fim de avaliar as negociações. Caso o prazo de aprovação da minuta do PCCS não seja cumprido, os trabalhadores da educação podem entrar em greve já no início de 2011. Os profissionais também cobram do Executivo Municipal a ampliação do percentual de 25% constitucionais na educação do município no próximo ano.

Atualmente, o piso salarial da rede municipal de Sinop é de R$ 1266,92 para professor com jornada de 40 horas semanais e formação em nível de magistério. “Porém, as diferenças entre as formações são praticamente inexistentes”, argumenta o secretário de Rede Municipal da subsede do Sintep/MT, Valdeir Pereira. Isso porque o piso para graduação é de 37% (R$ 1735,68), graduação mais especialização, 54% (R$ 1951,06), licenciatura e mestrado, 63% (R$ 2065,08) e para doutorado é de 73% (R$ 2.191,77).

Irregularidades - Outro aspecto ressaltado pelo sindicalista é que a progressão dentro da carreira não existe. “Os professores contemplados pelo PCCS estabelecido pela Lei municipal 854/2004 recebem um por cento (1%) anualmente de antiguidade, não incorporáveis à aposentadoria”. A subsede do Sintep/MT diagnosticou problemas referentes às lotações dos profissionais nas funções de apoio e técnico. “A Secretaria de Educação, conduzida pelo professor Antônio Tadeu Gomes, não tem clara a quantidade de funcionários necessários para o funcionamento das unidades escolares”, denuncia. Assim, há escolas com número elevado de servidores e outras com carência. O chamado “desvio de função” desses servidores também é elevado.

Valdeir Pereira aponta ainda que a exaustão sofrida pelos servidores eleva gradativamente o número de atestados médicos. “Não há, nesse caso, nenhum acompanhamento da gestão a estes trabalhadores”, afirma. Atualmente, encontram-se lotados servidores com mais de cinco anos nessa situação, sendo que a Lei estabelece o período de dois anos para a avaliação das readaptações funcionais. “Mas a atual gestão não tem critérios e ações diante dessa situação”, protesta.

Fonte: Sintep MT, 18/11/10

 

 

 

 
 
CNTE participa de ato em defesa da Petrobras (15/07/2015)
 
 

Programa 489: CNTE é contra avaliação que cria ranking entre escolas

 
  17/07/2015
Boletim CNTE 728
O que queremos para a nossa juventude?
INFORMATIVO CNTE 728  
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
A Lei 170/88 estabelece em seu Art. 1º que: O Sistema Estadual de Educação é organizado nos termos desta Lei Complementar e no de leis estaduais específicas, observados os princípios e normas da...
O Sinte-PI e seus Núcleos Regionais realizaram nesta segunda-feira (27/07), uma assembleia geral, na sede social do Sinte, para eleger os delegados e delegadas que participarão dos Congressos da CUT a nível Estadual (CECUT) e...
Brasil terá que aumentar em até três vezes o valor investido por aluno na rede pública para garantir uma educação com padrões mínimos de qualidade, informou a Campanha Nacional pelo Direito à...
Parados desde o dia 16 de julho, trabalhadoras/es da educação em Alagoas realizaram, nesta terça-feira (28), uma assembleia geral de avaliação dos primeiros dias da greve. O movimento está se fortalecendo,...
Entenda a greve dos servidores das Superintendências Regionais de Ensino (SREs) e do Órgão CentralA pauta de reivindicações com demandas dos Servidores das Superintendências Regionais de Ensino e do...
A Secretaria de Aposentados da Diretoria Executiva do Sintero promoveu visitas às regionais Cone Sul, Rio Machado, Apidiá, Guaporé e Estanho com objetivo de organizar encontros regionais, onde serão indicados representantes...
A Lei n. 18.964 que reajusta o Piso Salarial do magistério da Rede Estadual de Ensino foi sancionada no dia 22 de julho de 2015. Essa Lei visa o pagamento do reajuste de 13,01%, conforme índice do MEC para 2015. O reajuste será pago...
"Sabíamos que não conseguiríamos nada se não fosse com luta." Essa é a definição usada pela coordenadora Regional do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE), Maria...
O vencimento dos profissionais da Educação da Rede Pública Estadual de Ensino do Tocantins é a menor comparada aos salários de outros profissionais servidores com formação equivalente. As desigualdades...
A FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato grosso do Sul) reitera apoio a ACP( Associação Campo-grandense dos profissionais da educação básica). Na manhã desta...
O governo do estado, por meio da Coordenação de Negociação e Relações Funcionais (Coner), apresentou a nova proposta do plano de carreira do magistério público estadual ao Sindicato dos...
Para garantir a igualdade de acesso e a permanência dos estudantes na escola com um padrão mínimo de qualidade de ensino, conforme prevê a Constituição, seria necessário que a União aplicasse hoje nos...
Leia mais 
         
  Revista Mátria Programa de Formação Retratos da Escola Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2014/2017 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - CNTE na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira       - Clipping  
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003
Fax: +55 (61) 3225-2685

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.