Rádio
 
TV CNTE
 
Portuguese English French Spanish
 
 
     
 
       
   
 
     
 
 
 
     
 

MT: Em estado de greve, educação de Sinop aguarda aprovação do PCCS

Publicado em Quinta, 18 Novembro 2010 11:13

Prefeito tem até o dia 23 para encaminhar minuta do plano

Os trabalhadores da educação de Sinop, a 500 km de Cuiabá, estão em estado de greve. A decisão foi tomada pela assembleia geral, no dia 09 de novembro, quando 90% das unidades escolares paralisaram as atividades. A categoria cobra do prefeito Juarez Costa um posicionamento quanto ao Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS). As reivindicações são: redução da jornada de trabalho para 30 horas, e inclusão de todos os servidores no plano com a manutenção do piso de R$ 1266,92 para nível médio.

A reunião também aprovou a proposta do Executivo Municipal de formar uma comissão mista entre membros da subsede do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) e a equipe técnica da prefeitura para realizar estudos sobre o piso salarial. As análises serão concluídas até o dia 23 de novembro, quando o gestor deverá encaminhar a minuta do PCCS à Câmara Municipal, assegurando as reivindicações da categoria.

Segundo a presidente da subsede de Sinop, Sidinei de Oliveira, até o momento não há sinalização por parte do prefeito para a implantação do plano. Uma nova assembleia geral está marcada para o dia 25 de novembro, a fim de avaliar as negociações. Caso o prazo de aprovação da minuta do PCCS não seja cumprido, os trabalhadores da educação podem entrar em greve já no início de 2011. Os profissionais também cobram do Executivo Municipal a ampliação do percentual de 25% constitucionais na educação do município no próximo ano.

Atualmente, o piso salarial da rede municipal de Sinop é de R$ 1266,92 para professor com jornada de 40 horas semanais e formação em nível de magistério. “Porém, as diferenças entre as formações são praticamente inexistentes”, argumenta o secretário de Rede Municipal da subsede do Sintep/MT, Valdeir Pereira. Isso porque o piso para graduação é de 37% (R$ 1735,68), graduação mais especialização, 54% (R$ 1951,06), licenciatura e mestrado, 63% (R$ 2065,08) e para doutorado é de 73% (R$ 2.191,77).

Irregularidades - Outro aspecto ressaltado pelo sindicalista é que a progressão dentro da carreira não existe. “Os professores contemplados pelo PCCS estabelecido pela Lei municipal 854/2004 recebem um por cento (1%) anualmente de antiguidade, não incorporáveis à aposentadoria”. A subsede do Sintep/MT diagnosticou problemas referentes às lotações dos profissionais nas funções de apoio e técnico. “A Secretaria de Educação, conduzida pelo professor Antônio Tadeu Gomes, não tem clara a quantidade de funcionários necessários para o funcionamento das unidades escolares”, denuncia. Assim, há escolas com número elevado de servidores e outras com carência. O chamado “desvio de função” desses servidores também é elevado.

Valdeir Pereira aponta ainda que a exaustão sofrida pelos servidores eleva gradativamente o número de atestados médicos. “Não há, nesse caso, nenhum acompanhamento da gestão a estes trabalhadores”, afirma. Atualmente, encontram-se lotados servidores com mais de cinco anos nessa situação, sendo que a Lei estabelece o período de dois anos para a avaliação das readaptações funcionais. “Mas a atual gestão não tem critérios e ações diante dessa situação”, protesta.

Fonte: Sintep MT, 18/11/10

 

 

 

 
 
 
Seminário Nacional faz balanço de dois anos do PNE (20/06/2016)
 
 

Programa 542: Seminário na Câmara debate dois anos de PNE

 
  24/06/2016
Boletim CNTE 761
A PEC do arrocho e do desmonte
INFORMATIVO CNTE 761  
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Nesta sexta-feira (1/7), milhares de educadores realizarão um Ato Estadual, em Caxias do Sul, às 13 horas, na praça Dante Alighieri (rua Sinimbu, s/nº). A ação reunirá professores e funcionários de...
Em relação à nota pública divulgada pela assessoria de comunicação do Ministério da Educação (MEC), na manhã deste dia 29/6, a CNTE rechaça a informação...
São Paulo – Desde a manhã de hoje (29), professores e trabalhadores em educação fazem o chamado ato em defesa da democracia, da educação pública e dos direitos dos trabalhadores em...
Um ato que acontece desde as primeiras horas desta quarta-feira 29 na sede do Ministério da Educação impediu a entrada do ministro interino, Mendonça Filho, e seus assessores de entrar no prédio. Eles tiveram que se...
Trabalhadores da área de educação, estudantes e integrantes de movimentos sociais fazem hoje (29) uma manifestação que atinge o prédio principal e o anexo do Ministério da Educação (MEC)....
Seguindo na Luta, a APLB Sindicato Feira promove ida da categoria para os desfiles de 2 de Julho em Salvador, data em que é comemorada a Independência da Bahia. Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação das redes estadual e...
Na tarde de hoje, 28, a Comissão Eleitoral Estadual esteve reunida para a conferência das atas e boletins de apuração e encerramento da votação das eleições gerais do SINTE/SC 2016. Com base nos...
A decisão do governo interino e golpista de Michel Temer em desvincular por 20 anos os recursos previstos na Constituição Federal para a educação e a saúde, e de promover arrocho salarial pelo mesmo...
O ASPROLF – Sindicato dos Trabalhadores Municipais da Educação de Lauro de Freitas, entrou na segunda-feira (27) com uma ação no Ministério Público (MP), para contestar a nova política do Executivo...
O que tem sido oficialmente divulgado pela APLB Sindicato – Feira é o aumento de 9% para a categoria da rede estadual com retroativo ao mês de abril, incluindo Professores da ativa e aposentados. A APLB Sindicato Feira esclarece que...
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, entidade representativa de mais de 4 milhões de trabalhadores que atuam nas escolas públicas no Brasil, à qual é filiado o Sindicato dos...
Em mais um ato ilegítimo e ilegal, o presidente interino Michel Temer revogou decreto assinado pela presidenta Dilma Rousseff nomeando e reconduzindo membros para as câmaras de educação básica e superior do Conselho...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Cartilha Piso e Carreira Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2014/2017 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - CNTE na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira       - Clipping  
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003
Fax: +55 (61) 3225-2685

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.