Rádio
 
TV CNTE
 
Portuguese English French Spanish
 
 
     
 
       
   
 
     
 
 
 
     
 

MT: Em estado de greve, educação de Sinop aguarda aprovação do PCCS

Publicado em Quinta, 18 Novembro 2010 11:13

Prefeito tem até o dia 23 para encaminhar minuta do plano

Os trabalhadores da educação de Sinop, a 500 km de Cuiabá, estão em estado de greve. A decisão foi tomada pela assembleia geral, no dia 09 de novembro, quando 90% das unidades escolares paralisaram as atividades. A categoria cobra do prefeito Juarez Costa um posicionamento quanto ao Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS). As reivindicações são: redução da jornada de trabalho para 30 horas, e inclusão de todos os servidores no plano com a manutenção do piso de R$ 1266,92 para nível médio.

A reunião também aprovou a proposta do Executivo Municipal de formar uma comissão mista entre membros da subsede do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) e a equipe técnica da prefeitura para realizar estudos sobre o piso salarial. As análises serão concluídas até o dia 23 de novembro, quando o gestor deverá encaminhar a minuta do PCCS à Câmara Municipal, assegurando as reivindicações da categoria.

Segundo a presidente da subsede de Sinop, Sidinei de Oliveira, até o momento não há sinalização por parte do prefeito para a implantação do plano. Uma nova assembleia geral está marcada para o dia 25 de novembro, a fim de avaliar as negociações. Caso o prazo de aprovação da minuta do PCCS não seja cumprido, os trabalhadores da educação podem entrar em greve já no início de 2011. Os profissionais também cobram do Executivo Municipal a ampliação do percentual de 25% constitucionais na educação do município no próximo ano.

Atualmente, o piso salarial da rede municipal de Sinop é de R$ 1266,92 para professor com jornada de 40 horas semanais e formação em nível de magistério. “Porém, as diferenças entre as formações são praticamente inexistentes”, argumenta o secretário de Rede Municipal da subsede do Sintep/MT, Valdeir Pereira. Isso porque o piso para graduação é de 37% (R$ 1735,68), graduação mais especialização, 54% (R$ 1951,06), licenciatura e mestrado, 63% (R$ 2065,08) e para doutorado é de 73% (R$ 2.191,77).

Irregularidades - Outro aspecto ressaltado pelo sindicalista é que a progressão dentro da carreira não existe. “Os professores contemplados pelo PCCS estabelecido pela Lei municipal 854/2004 recebem um por cento (1%) anualmente de antiguidade, não incorporáveis à aposentadoria”. A subsede do Sintep/MT diagnosticou problemas referentes às lotações dos profissionais nas funções de apoio e técnico. “A Secretaria de Educação, conduzida pelo professor Antônio Tadeu Gomes, não tem clara a quantidade de funcionários necessários para o funcionamento das unidades escolares”, denuncia. Assim, há escolas com número elevado de servidores e outras com carência. O chamado “desvio de função” desses servidores também é elevado.

Valdeir Pereira aponta ainda que a exaustão sofrida pelos servidores eleva gradativamente o número de atestados médicos. “Não há, nesse caso, nenhum acompanhamento da gestão a estes trabalhadores”, afirma. Atualmente, encontram-se lotados servidores com mais de cinco anos nessa situação, sendo que a Lei estabelece o período de dois anos para a avaliação das readaptações funcionais. “Mas a atual gestão não tem critérios e ações diante dessa situação”, protesta.

Fonte: Sintep MT, 18/11/10

 

 

 

 
 
CNTE encerra 2015 com 50 sindicatos filiados (15/12/2015)
 
 

Programa 513: CNE aprova greve geral

 
  29/01/2016
Boletim CNTE 743
Vamos às ruas contra as OSs na educação pública
INFORMATIVO CNTE 743  
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Confira as entrevistas realizadas durante os Encontros Solidários de Formação Sindical com sindicatos paraguaios, entre 1 e 5 de fevereiro, em Ponta Porã-MS, com as entidades OTEP-Autêntica e a UNE Sindicato...
O Sindicato APEOC, na qualidade de representante legal dos servidores da Educação do Estado e dos Municípios do Ceará, decidiu acionar o Ministério Público para garantir a convocação de 342...
O conceito de administração pública, com a contração de servidores por concurso, foi um legado da Revolução de 1930, que levaria Getúlio Vargas ao poder, no Brasil, e em Goiás faria...
PONTA PORÃ/MS - Durante os dias 01 a 05 de fevereiro, a CNTE – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, realizou em Ponta Porã-MS, dois encontros binacionais entre a CNTE e as entidades...
O Sindicato APEOC deu largada ao processo de mobilização da categoria através das Assembleias realizadas em todo o estado do Ceará. Nessa quinta-feira (04/02), foram realizadas as assembleias do Valeu do Curu, em Itapipoca, e...
Imagine uma escola nada engraçada, com salas que não têm teto nem piso. Janela? Nem pensar. E esta escola não está em nenhum rincão distante do Brasil, mas no interior do Paraná, no município que...
Na posição de candidato ao cargo de governo do Estado, Sartori afirmava em todos os seus discursos que a educação seria prioridade em sua gestão. Após pouco mais de um ano como governador, o que se vê...
A mobiliação acontece, desde às 9h, na Cidade Administrativa, e conta com a participação de educadores/as vindos em caravana de todas as regiões do Estado. Segundo a direção do Sindicato...
Este ano, em mais da metade dos municípios de Sergipe, o carnaval está proibido.O estoque de fantasias nas lojas de Pirambu encalhou. “Minhas vendas se não tiver carnaval vai cair 30%”, conta a comerciante Gicelma Alves...
A vice-presidenta da Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (FETEMS), Sueli Veiga Melo e a secretaria geral da entidade, Deumeuries Batista de Souza, estão em Ponta Porã (MS) e Pedro Juan...
O governo do estado por meio da Lei Complementar 668/2015 – que Dispõe Sobre o Quadro de Pessoal do Magistério Público Estadual, nos Parágrafos 1º e 2º do Art. 18, que trata da jornada de trabalho, normatizou e...
A primeira reunião de 2016 do Coletivo de Mulheres trabalhadoras da educação, realizada nesta quinta-feira (04), na sede do Sinteal, em Maceió, agregou mulheres de todo o estado para discutir a realidade atual e definir os...
Leia mais 
         
  Revista Mátria Programa de Formação Cartilha Piso e Carreira Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2014/2017 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - CNTE na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira       - Clipping  
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003
Fax: +55 (61) 3225-2685

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.