Fundeb ajuda a combater desigualdades sociais e regionais

Publicado em Quinta, 14 Dezembro 2017 09:29

banners cnte na midia 2

A importância de se garantir a continuidade do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais de Educação (Fundeb) ultrapassou as fronteiras nacionais. No portal do jornal El País foi publicado artigo com o título: " Por que o Fundeb é essencial para combater a desigualdade na educação no Brasil ", de autoria de Priscila Cruz e Caio Callegari, ambos da ONG Todos Pela Educação. O texto aborda os impactos que o Fundo teve na redução das desigualdades sociais e regionais.

Em meio à enorme turbulência política que abala nosso país, e em função da situação de eminente fim do Fundeb, parlamentares vem dando justo e merecido espaço para a discussão das Propostas de Emendas Constitucionais que visam tornar o Fundeb permanente: a PEC 15/2015 , da deputada Raquel Muniz (PMDB-MG) e, aqui no Senado, a PEC 24/2017 , de minha autoria.

Nossa proposta, inclusive, vai mais além do que apenas propor a permanência do Fundo: propomos que ele deixe de ser uma Disposição Transitória, passando a se constituir em parte efetiva do texto da Carta Magna. Propomos, ainda, a elevação dos investimentos da União em educação, de forma gradativa, para garantir a implantação do custo aluno-qualidade e a elevação do piso salarial dos professores.

A senadora Fátima Bezerra, relatora da nossa PEC na CCJ do Senado, e também presidente da Comissão de Desenvolvimento Regional, está levando o debate sobre a permanência do Fundeb a várias regiões do país. O ciclo de debates da CDR, além do Senado, já passou por cinco capitais: Salvador, Porto Alegre, Natal, Aracaju e Belo Horizonte.

Em todos os debates temos tido a participação de diversas entidades ligadas à educação, como a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime); Sindicatos dos Trabalhadores em Educação; Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE); Campanha Nacional Direito à Educação; Conselhos Municipais de Educação; professores, pesquisadores, vereadores e parlamentares dos estados.

As discussões sobre o Fundeb, tanto na Câmara como no Senado, revelam a elevada importância das políticas de fundos para a educação no Brasil, discussão essa que mobiliza a comunidade educacional e parlamentares, em meio a maior crise da história política brasileira. Imaginem o esforço despendido para emplacar essa discussão de fundo para a educação, no meio desta crise.

Assim, na mesma linha do artigo publicado pelo El País , a avaliação que se tem do Fundeb é de que ele ajudou - e ajuda - a reduzir as desigualdades sociais e regionais, servindo de modelo de financiamento da educação a ser adotado em outros países.

Isso mostra que a educação é, além de importante, essencial para garantir o futuro de nossas crianças e jovens. Essa premissa dos fundos para a educação já era defendida há 85 anos pelo educador baiano Anísio Teixeira que, profeticamente, previu que os fundos poupariam os recursos da educação tanto das contingências orçamentárias como das oscilações de humor dos governantes de plantão.

Recentemente vimos a efetividade da proposta de tornar permanente um fundo protetor dos recursos da educação: com a promulgação da Emenda Constitucional do Teto de Gastos Públicos, algumas despesas não ficaram sujeitas ao teto, como é o caso das transferências de recursos da União para estados e municípios e as verbas para o próprio Fundeb.

É importante lembrar que durante as vigências dos fundos para a educação tivemos tanto no Fundef (1996-2006) como no Fundeb (que começou em 2006 e tem término previsto para 2020), a sub vinculação dos recursos da educação, evitando fuga de recursos para outras áreas; além da redução dos subterfúgios na aplicação de recursos; e, em alguma medida, também a redução das desigualdades educacionais, juntamente com avanços, ainda que tímidos, na política salarial do magistério brasileiro.

Os resultados do Fundef foram indiscutíveis, pois permitiram ampliar a universalização do Ensino Fundamental, da mesma forma que o Fundeb ampliou a escolaridade obrigatória da educação infantil ao ensino médio, como propôs Anísio Teixeira, para quem a obrigatoriedade do ensino desde a mais tenra idade até a adolescência é "mais necessária ainda na sociedade moderna, em que o industrialismo e o desejo da exploração humana sacrificam e violentam crianças e jovens", cuja formação pode ser impedida ou mutilada pela ignorância ou "por contingências econômicas".

Há um reconhecimento patente de que o Fundeb é de suma importância para a superação das desigualdades sociais e regionais do país. Estou convencida de que para fazer avançar a democracia temos que construir uma escola pública de qualidade. Não podemos deixar que a educação brasileira perca os aportes de recursos deste importante Fundo, que está com seus dias contados, a menos que votemos e aprovemos esta matéria. O desmonte do Fundeb acarretaria um verdadeiro caos na educação nacional.

(Congresso em Foco, 3/12/2017)

 
 
  15/01/2018
Boletim CNTE 809
As ações de resistência para defender a democracia: a pauta em 2018 é ampliar a luta!!
INFORMATIVO CNTE 809  
 
 
INSTITUCIONAL CNTE | Resistência e Convocação para a Conape 2018 (01/12/2017)
 
 

Programa 597: CNTE faz balanço das lutas de 2017

 
 

Nota Pública: Paulo Freire continua sendo o patrono da educação brasileira

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Pela primeira vez na história de atuação do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) em Paranatinga (373 km de Cuiabá), o Sindicato foi convidado para reunião com o chefe do...
O Sinteal conquistou, na justiça, uma vitória na defesa da Gestão Democrática das escolas públicas estaduais de Alagoas. Em decisão do dia 13 de janeiro, o juiz Ayrton de Luna Tenório concedeu liminar...
Foto:Ricardo Stuckert/Instituto Lula Antes do Governo do Lula, os(as) Funcionários(as) da Educação não tinham direito à política de formação continuada e nem eram reconhecidos(as) como...
Diante de resultados de inúmeras pesquisas sobre a educação brasileira, desde as inquietantes reflexões de Anísio Teixeira e Paulo Freire às últimas pesquisas da OCDE - Organização para a...
Os trabalhadores e trabalhadoras em educação, reunidos em assembleia geral na última quarta-feira (10), discutiram sobre a Campanha Salarial 2018, com base no índice de reajuste de 6,81% do Piso Nacional do Magistério...
O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) faz o alerta de mais uma prática do governo Taques para promover o desmonte da escola pública, de gestão pública, gratuita, laica e de...
Após inúmeras comunicações encaminhadas à Seduc e sem nenhuma reposta, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado do Tocantins (Sintet), José Roque Santiago protocolizou...
O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) foi convidado para uma reunião na tarde de quarta-feira (10) com a Casa Civil e a Secretaria de Estado da Educação, para ser comunicado que os 40 mil...
Dando início à campanha salarial 2018 na rede pública municipal de educação de Maceió, o Sinteal já encaminhou à Secretaria Municipal de Educação (Semed), na pessoa da titular da...
Os professores e demais servidores da educação da rede municipal de Lauro de Freitas (Região Metropolitana de Salvador) estão de férias, mas sem o dinheiro do período. Isso porque a Prefeitura não pagou...
Com extremo pesar que a CNTE informa o falecimento da secretária de Políticas Sociais, do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) Marli Keller.Referência de militância, garra e...
A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, concedeu liminar para suspender a eficácia de lei estadual do Paraná que dispõe sobre os professores e profissionais de educação que...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.