2020 02 13 giro sinduteMG

Trabalhadores e trabalhadoras em educação de Minas Gerais, sob coordenação do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), acompanharam, nesta quinta-feira (13/2), as atividades na Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

Pela manhã, acompanharam esclarecimentos que serão prestados pela Secretaria de Estado da Fazenda sobre a obrigatoriedade do Estado investir 25% da receita corrente líquida em Educação.

A direção estadual do Sindicato afirmou hoje à imprensa que a categoria está a muito tempo sacrificada e cobra o cumprimento do governo do Estado da Lei Estadual de 2015, das Constituições Federal e Estadual em relação ao Piso Salarial Profissional Nacional. “Estamos sacrificados pelo parcelamento do salário. Estamos sacrificados pela ausência de pagamento do 13º para 25% da nossa categoria. Estamos sacrificados pelo desemprego estrutural que a política educacional do governo Zema tem nos imposto desde o ano de 2019. Então a educação já deu a sua cota de sacrifícios ao governo do estado”, afirma a coordenadora-geral do Sind-UTE/MG, Denise Romano.

A atividade aconteceu na Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia, presidida pela deputada estadual Beatriz Cerqueira.

(Sind-UTE/MG, 13/02/2020)