2020 11 25 giro appsindicato

Enquanto o governador Ratinho Jr. continua sem estabelecer o diálogo com a categoria, Educadores(as) mantém a greve greve de fome, que já chega a 144 horas de duração. A medida extrema é uma resposta a postura negacionista do governador do Estado e do secretário da Educação, o empresário Renato Feder, que ameaçam a vida e o emprego de mais de 30 mil trabalhadores(as) da educação por conta de suas ações irresponsáveis durante a pandemia.

Para demonstrar respeito e confortar os(as) Professores(as) e Funcionários(as) de Escola que se mantém firmes em sua ação, a APP-Sindicato convida a categoria, estudantes, pais e mães e comunidade escolar para participar de um ato virtual. Com início às 20 horas, o Sindicato solicita para que sejam enviadas fotos e vídeos com velas, lanternas e pratos vazios.

“As 20 horas em ponto, convidamos todos(as) que puderem. Liguem e desliguem as luzes de casa, acendam uma vela, liguem a lanterna do seu celular. Durante o dia, façam fotos com prato e panela vazios e cartazes utilizando a hashtag #fomedejustiça. Esta energia positiva para chegar em (as) Nossos(as) bravos guerreiros(as). São luzes para a luta”, enfatiza a secretária de Funcionários(as) de Escola, Nádia Brixner.

Ameaça aos empregos e a saúde

Segundo a APP-Sindicato, a principal denúncia o edital 41/2020, documento que institui uma prova para o Processo Seletivo Simplificado (PSS), a qual será realizada no próximo dia 13 de dezembro. Com a expectativa de mais de 47 mil inscritos(as), o certame colocará em risco a vida destes(as) profissionais, pois a avaliação será realizada de forma presencial, aumentando o risco de contágio do vírus Covid-19. O Sindicato enfatiza que o Estado precisa revogar o edital 47/2020, respeitando a saúde e o emprego dos(as) milhares(as) de profissionais PSS’s.

Além da revogação do edital e da prova, a categoria reivindica a renovação dos contratos de professores(as) e funcionários(as) de escola atualmente contratados(as) de forma temporária pelo processo seletivo simplificado, o pagamento do salário mínimo regional e de promoções e progressões, concurso público para suprir o déficit de educadores(as), além da manutenção das turmas de ensino noturno nas escolas incluídas no processo de migração para o modelo cívico-militar.

Sem uma resposta do governo, o comando de greve deliberou a convocação da categoria para uma assembleia estadual extraordinária nesta quinta-feira (26). A reunião será realizada de forma virtual, para preservar a saúde dos(as) educadores(as) presentes. Para participar, é preciso fazer um cadastro prévio no endereço https://appsindicato.org.br/assembleia.

(APP-Sindicato, 25/11/2020)