2021 04 05 giro sindutemg

Revolta e indignação. Familiares, amigos e colegas de trabalho da professora Talita Samara Soares Freitas não cansam de repetir que a culpa pela contaminação e a morte dessa profissional foi do governo municipal, que se manteve insensível e irredutível na volta às aulas presenciais, num momento de alta da contaminação da Covid-19 no município.

Ao informar a toda a comunidade o seu falecimento, o SindUTE Subsede Brumadinho, não só se solidariza com seus familiares como, também, informa que Talita Samara Soares Freitas, professora de educação física da Rede Municipal de Brumadinho, era extremamente dedicada e uma mãe carinhosa, que deixa três filhas órfãs e o marido.

Diante da grave situação da pandemia da Covid-19, das recomendações das autoridades técnicas-científicas ligadas ao setor da saúde e com base na liminar que o Sind-UTE/MG conseguiu junto ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais, a Subsede Sind-UTE Brumadinho enviou vários ofícios à Secretaria Municipal de Saúde e aos órgãos competentes alertando para o perigo do retorno presencial e reivindicando que não fosse feito esse processo nesse momento tão conturbado e de risco iminente de contaminação. Mas, o Sindicato não teve êxito em seu pedido.

São mais de 35 casos de trabalhadores/as contaminados pela Covid-19 no município envolvendo professores e diretores e, infelizmente, na última terça-feira, 31/03, a professora Talita Freitas, contaminada, não resistiu e faleceu.

Segundo Lilian Paraguai, coordenadora da Subsede do Sind-UTE Brumadinho, no dia 8/02/21, todos os trabalhadores(as) foram convocados(as) para trabalhar presencialmente na escola. Ela alega que foram feitas novas tentativas para tentar dialogar e evitar a propagação do vírus na cidade com a volta presencial às escolas. “Foram enviados vários ofícios para a Secretaria da Educação, Secretaria da Saúde, Prefeitura e a Comissão de Saúde e Educação da Câmara de Vereadores. Na reunião feita pela Comissão de Saúde e Educação da Câmara foi preciso a gente solicitar ao presidente da comissão que usasse máscara para participar do encontro.”

Lilian também lamenta que, mesmo diante de um cenário de mais de 300 mil vidas perdidas pela pandemia da Covid-19 em Minas Gerais, o Ministério Público de Brumadinho permitiu o retorno às aulas em atendimento à solicitação feita pela Prefeitura Municipal.

“O retorno às salas de aula em Brumadinho/MG deverão se dar apenas com a vacinação de todos os trabalhadores e trabalhadoras da educação”, foi o que deliberou a assembleia.

(SindUTE Subsede Brumadinho, 05/04/2021)