O Sintero protocolou denúncia ao Ministério Público do Estado de Rondônia (MP/RO), na quarta-feira (25/08), relatando que a E.E.E.F.M Getúlio Vargas, localizada em Porto Velho, encontra-se em condições inadequadas para receber toda a comunidade escolar, tendo em vista os parâmetros estabelecidos no Plano de Retorno Presencial elaborado pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

Através de imagens e de uma minuciosa inspeção feita em todos os espaços da instituição de ensino, foi possível constatar que a mesma encontra-se em estado de abandono e total descaso, visto que, não houve por parte do Poder Público, adequações para efetivar o retorno das aulas presenciais com segurança, resguardando a saúde e bem estar de professores/as, técnicos/as educacionais, estudantes e demais membros da comunidade escolar.

Trabalhadores/as em Educação fizeram um verdadeiro desabafo ao sindicato, argumentando que se sentem desassistidos diante dessa situação. Além de ser considerada uma falta de respeito aos indivíduos que necessitam transitar diariamente por esses espaços educacionais.

O Sintero solicitou a imediata intervenção do Ministério Público, bem como da Seduc para que tome as providências cabíveis e assegure que as exigências recomendadas pelos órgãos sanitários sejam cumpridas.

“Por diversas vezes indicamos que as escolas públicas de nosso Estado não possuem condições estruturais para receber a todos e todas com segurança e sem apresentar riscos à saúde. Nossa reivindicação foi ignorada e agora, nossa comunidade escolar sofre com condições precárias e inapropriadas. Não podemos tolerar que essa situação continue. Por isso, exigimos a imediata intervenção dos órgãos responsáveis”, disse a presidenta do Sintero, Lionilda Simão.

(Sintero, 27/08/2021)