LIBERDADE DE EXPRESSÃO

 

2021 03 31 destaque mocao

No último dia 26 de março, em ato realizado pelo Comitê de Resistência e Solidariedade de Toledo, município do oeste paranaense, a liberdade de expressão foi mais uma vez atacada no Brasil. Em solidariedade às mais de 300 mil vítimas da COVID-19 no Brasil, a iniciativa do Comitê, que é uma articulação entre várias entidades sindicais do município, dentre as quais o núcleo sindical de Toledo da APP-Sindicato, foi atacada e desmobilizada forçosamente pela Guarda Municipal da cidade.

A manifestação pacífica consistiu na afixação de 300 cruzes e faixas no Lago Municipal de Toledo, em área que não impedia a mobilidade dos cidadãos e pretendia, tão somente, homenagear as 300 mil vidas de brasileiros ceifadas pelo Coronavírus. Funcionários da Prefeitura Municipal, nas figuras do secretário municipal de segurança e trânsito, Artur Almeida, e do assessor do gabinete do prefeito, Márcio Borges Pena, apareceram no ato acompanhados da Guarda Municipal. O projeto organizado pelo Comitê foi, assim, brutalmente destruído pelos agentes municipais, sem nenhuma justificativa.

A arbitrariedade e truculência dos gestores municipais, a mando do prefeito interino Ademar Dorfschmidt, impingiram uma mácula na liberdade expressão, direito assegurado em nossa Constituição brasileira. O mais surpreendente nessa manifestação de ódio e perseguição protagonizados pelos agentes municipais é que esse ato se deu em um município em que o prefeito da cidade foi afastado recentemente porque se encontra hospitalizado em decorrência do Coronavírus. A absoluta falta de empatia dos gestores municipais é mais uma tragédia de todo o cenário a que o país está submetido, com ânimos deflagrados pelo atual momento político que, ao contrário, exigiria a união de todos/as os/as brasileiros/as no combate a um inimigo comum.

Os/as educadores/as de todo o Brasil se solidarizam com as entidades que compõem o Comitê de Resistência e Solidariedade de Toledo e, de forma veemente, repudiam a ação truculenta da prefeitura e de sua Guarda Municipal. O momento exige a união de todos na luta pela vacina, na manutenção dos meios de sobrevivência de todos/as e na união de toda a sociedade no combate ao Coronavírus, que passa necessariamente pela vacinação em massa de nossa população. Lamentável os gestores municipais de Toledo se guiarem por sentimentos de ódio quando o momento pede união de todos/as.

Brasília, 30 de março de 2021

Direção Executiva da CNTE