VACINA JÁ

 

2021 02 19 site cut rs
Organizados pela CUT e entidades que compõem as frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, os protestos têm adesão de trabalhadores e trabalhadoras e de outros setores da sociedade, que sofrem com a falta de uma estratégia eficaz de combate à crise econômica e enfrentamento à pandemia da Convid-19, que já matou mais de 243 mil pessoas no país.

Para as entidades, o único caminho para o país caminhar e sair do caos em que se encontra é o impeachment do presidente Jair Bolsonaro (ex-PSL).

Sérgio Nobre, presidente nacional da CUT, ressalta que o Brasil vive seu momento mais trágico. “É vergonhoso que o país só tenha vacinado até agora cerca de 5,5 milhões de pessoas e que tenha mais de 200 milhões de brasileiros na expectativa de chegar a vacina”.

Bolsonaro, lembra o dirigente, foi negligente no planejamento de aquisição de vacinas, negou a eficácia da imunização e o país demorou a dar início ao plano de imunização, que muitos especialistas consideram “uma bagunça”.

Um desses especialistas é o renomado médico Dráuzio Varella, que em seu Twitter afirmou: “A falta de um plano de vacinação com coordenação centralizada, com regras válidas para o país inteiro, gera desordem e confunde a população, incapaz de entender por que, em cada cidade, a vacina chega para uns e não para outros”.

Além da falta de responsabilidade no combate à pandemia, que incluiu recomendar medicamentos sem nenhuma comprovação cientifica para tratamento e prevenção da Covid-19, como a Hidroxicloroquina e a Ivermectina, Bolsonaro, que não é médico, não tem nenhuma política efetiva para geração de emprego e renda.

Ao contrário, empresas pequenas, médias e até as grandes têm fechado as portas no país, enquanto o governo segue inerte sem nenhuma reação para proteção dos trabalhadores. Sérgio Nobre cita o caso do fechamento da Ford no Brasil que deixará milhares de desempregados.

“O governo comete crimes permitindo o fechamento de empresas no pais e que entrem produtos importados, sem gerar emprego no Brasil”, diz Sérgio Nobre. Na outra ponta, trabalhadores perdem seus empregos, engrossando as estatísticas – já são mais de 14,1 milhões de desempregados. São brasileiros que ficaram sem renda e sem a perspectiva de uma recolocação no mercado de trabalho, ressalta o presidente da CUT.

Auxílio emergencial e Vacina Já

Sérgio Nobre afirma que a união do povo brasileiro na luta em defesa do emprego e da vida é o que pode reverter a situação.

“A gente tem demonstrado que todas as vezes que estivemos unidos, a gente lutou e venceu”, diz o presidente da CUT se referindo à união do movimento sindical, movimentos sociais e a sociedade em defesa dos trabalhadores.

Exemplo foi o auxílio emergencial que, em março do ano passado, após uma articulação da CUT com os movimentos sociais e partidos de oposição garantiram no Congresso a aprovação do benefício no valor de R$ 600,00. Bolsonaro, à época, apenas cogitava a possibilidade de pagar um benefício de R$ 200,00.

A manutenção do auxilio emergencial também é bandeira de luta nos protestos #ForaBolsonaro. “O povo está vendo o governo gastar milhões em coisas como leite condensado, cerveja e picanha, principalmente para os militares, outros milhões para comprar o voto de deputados para eleger os aliados para a presidência do Congresso, enquanto diz que não pode pagar o auxílio emergencial de R$ 600, que é fundamental para salvar vidas durante a pandemia – para não deixar pessoas morrerem de fome”, reforça a Secretaria Geral da CUT, Carmen Foro.

Participação popular é pressão

Vagner Freitas, vice-presidente da CUT, ressalta que é a adesão popular aos protestos que fará a pressão no Congresso para que o impeachement de Bolsonaro seja desengavetado na Câmara dos Deputados.

“O movimento tem crescido e tem que crescer cada vez mais. O povo brasileiro não aguenta mais esse governo e tem que mostrar isso nas ruas. É fazer pressão, mostrar o descontentamento, fazer o ‘Fora Bolsonaro' ecoar por todo o país."

#ForaBolsonaro – confira onde vai ter ato:

Alagoas

Maceió: dia 20, com concentração às 14h no Terminal do Graciliano Ramos

Brasília

Carreatas partirão de diversos pontos do DF, a partir das 8h, em direção ao Palácio do Buriti, onde ocorre a concentração. O início da carreta oficial, que seguirá pela Esplanada dos Ministérios é às 10h30.

Ceará

Fortaleza: carreata e bicicletada no sábado, dia 20, a partir das 15h, com concentração em frente à estátua de Iracema. O ato inclui como bandeira de protesto a defesa da aposentadoria dos servidores de Fortaleza e contra a flexibilização do porte de armas.

Juazeiro - dia 21, com concentração às 9h na Praça Isabel da Luz, no Pirajá.

Espírito Santo

Vitória: dia 21, com concentração às 9h, no ginásio Tandredão

Goiás

Goiania: dia 21, com concentração às 8h na Praça Universitária. Saída às 9h30.

Mato Grosso

Cuiabá: carreata no sábado, dia 20, às 8h com concentração em frente à Casa da Democracia na avenida do CPA.

Mato Grosso do Sul

Campo Grande: ‘Carreata pela vida, pelo emprego, pelo auxílio emergencial e #ForaBolsonaro. Concentração às 10h na Avenida Gury Marques, próximo ao terminal rodoviário.

Minas Gerais

• Dia 20

Belo Horizonte: concentração na Praça da Estação, às 14h

Contagem: concentração no Riacho às 10h

Montes Claros: com concentração na Praça Itapetininga, às 8h30.

Ribeirão das Neves: concentração às 10h na Av. Presidente Juscelino Kubitschek, atrás da UP Acrizio Menezes (Justinópolis).

Uberlândia: concetração às 15h no Terminal Planalto

• Dia 21

Divinópolis: concentração às 10h, em frente ao Mercado Distrital

Uberaba: concentração às 10h, em frente ao Uberabão

Pará

Belém: carreata #ForaBolsonaro e #nãoàReformaAdministrativa, no sábado, dia 20, às 9h com concentração na Aldeia Cabana

Paraíba

João Pessoa: dia 21, com início às 8h30, em Jaguaribe, na Rua Aderbal Piragibe (Rua do Centro Administrativo Estadual) e término na Praça Manuel Pereira Junior.

Paraná

• Dia 20

Curitiba: carreata com concentração às 15h, na Praça Nossa Senhora Salete.

• Dia 21

Cascavel: concentração às 9h no centro Universitário da FAG

Pernambuco

Recife: dia 20, com concentração a partir das 09h, na antiga fábrica da Macaxeira, Av.Norte.

Garanhuns: dia 20, com concentração na Praça Cajueiro, Boa Vista, às 9h

Petrolina: dia 21, com concetrnação na orla, Porto do Rio às 9h

Piauí

Teresina: carreata no sábado, dia 20, às 8h. Concentração no Terminal de Integração Livramento, Dirceu I.

Rio Grande do Norte

Natal: carreata com concentração no Acesso à Mãe Luiza, na Via Costeira, às 8h30, domingo (21).

Rio Grande do Sul

• Dia 20

Porto Alegre: concentração às 10h na Rótula das Cuias (Parque Harmonia). A carreata seguirá pelas ruas da cidade a partir ds 11h.

Rio de Janeiro

• Dia 20

Capital: concentração às 10h30 na Praça Almirante Julio de Noronha (Leme)

Campos dos Goytacazes: concentração às 9h na Praça São Salvador

• Dia 21

Capital: concentração no monumento Zumbi às 10h.

Niterói: concentração na Praça da Cantareira, às 9h

Rio das Ostras: concentração às 9h, na Orla de Rio das Ostras (saída será perto do Mirante Costa Azul)

Teresópolis: concentração na Praça da escola Sakura (Ermitage), às 9h30

Santa Catarina

No estado, as manifestações serão realizadas do domingo, 21/02

Araranguá: carreata pela vida com concentração às 9h, em frente à sede da AMESC (Avenida XV de Novembro, Mato Alto)

Blumenau: carreata com saída às 9h30 da Prefeitura de Blumenau

Brusque: carreata pela vida com concentração às 9h30, no Pavilhão da Fenarreco

Criciúma: carreata com concentração na Praça da Chaminé (bairro Próspera), às 9h

Florianópolis: carreata e bicicletaço com concentração às 9h30 em frente à UFSC (próximo ao CSE e RU).

Itajaí: carreata com concentração às 14h, na Prefeitura

Joinville: carreata com concentração a partir das 9h30, na Arena Joinville

Lages: ato unificado na Praça João Costa, no Centro, às 15h

Mafra: carreata com concentração às 9h, na Praça dos Correios

Palhoça: carreata e bicicletaço com concentração às 8h30, no estacionamento da Prefeitura

Rio do Sul: carreata com concentração no Parque Municipal, às 13:30

São Paulo

• Dia 20

Capital: Saídas de diferentes pontos, às 14h, com destino à Avenida Paulista

-Praça Charles Miller (Estacionamento do Pacaembu)

-Avenida Vitor Manzini (Largo do Socorro)

-Em frente ao Itaquerão (estacionamento)

-Praça Elis Regina (Butantã), a partir de 12h30

-Estrada do Sabão, 800 (em frente ao Sacolão Municipal) – Brasilândia

Arujá: 8h - Rua Serra dos Canudos - Mirante (ao lado da Escola Estadual Geraldo Barbosa de Almeida)

Campinas: 10h – Concentração no Largo do Pará

Ferraz de Vasconcelos: 9h - Avenida Gov. Jânio Quadros, 2191 (altura do Ethernety Motel)

Guarulhos: concentração na Base Áerea de Cumbica (Av. Papa João Paulo I, altura do 5000), às 10h

Itaquaquecetuba: 8h30 - Rodovia Alberto Hinoto (altura da Marfinite)

Jacareí (Vale do Paraíba): 9h30 – Concentração em frente ao Parque da Cidade

Mogi das Cruzes: 9h – Concentração na Avenida Cívica

Poá: 9h30 - Avenida Vital Brasil (divisa com Itaquaquecetuba)

Piracicaba: 9h – Concentração no Bolsão do Estacionamento da Estação Paulista

Santo André: Em frente à CUT-Subsede ABC (Avenida Artur de Queirós, n. 52, Bairro Casa Branca), às 13h30.

São José dos Campos: concentração às 9h no Estadio Martins Pereira

Sorocaba: 10h – Concentração em frente à Prefeitura (Av. Eng. Carlos Reinaldo Mendes, 3041 - Alto da Boa Vista)

Suzano: 10h30 - Avenida Brasil (altura do Parque Max Feffer)

• Dia 21

Araçatuba: 9h30 – concentração na Avenida Odorindo Perenha (ao lado do supermercado Rondon, loja 4)

Itapevi: 9h – concentração em frente à Apeoesp (Rua Ezequiel Dias Siqueira, 178 - Jardim Rainha)

Marília: concentração às 9h na Av. Durval de Menezes, 1141, em frente à EMEF Prof. Antonio Moral

Ribeirão Preto: 9h - concentração em frente à Câmara Municipal (Avenida Jerônimo Gonçalves, 1200 - Centro)

Santos: 15h – Concentração na Avenida Mário Covas, em frente ao OGMO

São José do Rio Preto: 9h - concentração Av. Fausto Sucena Rasga, esquina Rua Santa Paula no Parque Residencial Lauriano Tebar.

Sergipe

Aracaju: concentração às 8h30 na orla do Bairro Industrial, em frente ao Alma Viva

 (CUT Brasil, André Accarini com edição de Marize Mnuiz, 19/02/2021)