TRIBUTAR OS SUPER-RICOS

2021 06 07 live tributar

Nesta segunda-feira (7), a partir das 19h, a campanha Tributar os Super-ricos promove a LIVE "Regular e tributar os sistema financeiro para investir no social". Participam do evento o governador do Piauí, Wellington Dias, o ex-ministro, Ricardo Berzoini, o economista e ex-diretor-técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Sergio Mendonça, e a presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Juvandia Moreira.

A campanha "Tributar os Super-ricos" é promovida por diversas entidades, entre elas a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). Para as entidades que fazem parte da campanha, o momento exige medidas emergenciais e a única saída de curto e médio prazos é TRIBUTAR OS SUPER-RICOS para fortalecer o Estado, enfrentar a pandemia, garantir renda para os mais pobres e para retomar a atividade econômica. A campanha defende que tributar os super-ricos do Brasil podoerá levar ao aumento na arrecadação de aproximadamente R$ 300 bilhões gerando redução de pagamento do Imposto de renda para quem ganha até R$ 15 mil por mês; redução dos tributos das micro e pequenas empresas; aumento na geração de empregos; soluções para o financiamento da seguridade social, entre outras consequências. 

Sistema financeiro
“Assegurar o funcionamento do sistema de pagamentos, permitindo que os mercados locais desenvolvam suas atividades; e o deslocamento e atuação das pessoas, empresas e governo, mesmo em locais distantes. Além de garantir a segurança da poupança e conceder crédito a quem precisa são os principais papéis do sistema financeiro bancos. Mas, infelizmente, não é assim que ele funciona”, afirmou o secretário de Assuntos Socioeconômicos da Contraf-CUT, Mario Raia.

O debate será transmitido ao vivo pela página da CNTE no Facebook,  pela TV Contraf, pelo Facebook da Campanha Tributar os Super-Ricos e demais entidades que integram a campanha, e também pelo Youtube do Instituto Justiça Fiscal.

Lucros galopantes
No primeiro trimestre de 2021, o lucro dos cinco maiores bancos do país somou R$ 26,4 bilhões, com alta média de 47,1% em doze meses.

Para o dirigente da Contraf-CUT, que é uma das entidades coordenadoras da Campanha Tributar os Super-Ricos, os bancos não cumprem seu papel social definido na Constituição Federal e precisam ser cobrados por isso. “Os bancos, sobretudo os privados, que funcionam como concessão pública, não se preocupam nenhum um pouco com o que é público. Estão preocupados com seus próprios lucros. E, cada vez mais, os tributos e contribuições que eles pagam não dão conta de acompanhar o lucro sempre crescente que ele obtém da sociedade”, explicou.

Entre 1997 e 2019, o lucro líquido do segmento cresceu 2,4 vezes mais do que os valores pagos de CSLL e duas vezes mais do que os valores pagos de IRPJ. No período, o lucro líquido dos bancos cresceu 423% acima da inflação, enquanto valores pagos a título de CSLL aumentaram 179% e a título de IRPJ aumentaram 211%.

“Mesmo com o crescimento mais lento por conta da pandemia, em 2020 o lucro dos bancos cresceu duas vezes mais que a CSLL e 1,6 vezes mais do que o IRPJ”, observou Mario Raia.

>> VEJA MAIS DETALHES NO SITE DA CONTRAF/CUT

>> Assista a gravação da live na página da CNTE no Facebook

(Com informações da Contraf/CUT e IJF)