Estudo inédito, feito a pedido da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), será divulgado nesta sexta-feira (21), em Brasília

O instituto de pesquisa Data Popular acaba de concluir pesquisa inédita, realizada a pedido da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação) em parceria com a Apeoesp - Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo -, sobre a importância da educação pública e a qualidade do ensino público no Brasil. O levantamento revela que falta de segurança e violência nas escolas são os principais problemas apontados pela população. Para 89%, existe muita violência nas escolas públicas brasileiras. O estudo A educação e os profissionais da educação será divulgado nesta sexta-feira (21), às 18h30, na Conae (Conferência Nacional de Educação), em Brasília.
O estudo mostra que segurança é o fator mais importante para que a escola seja de qualidade, seguida de valorização dos professores e funcionários.  A falta de perspectiva na carreira é outro ponto a ser analisado: a população considera a profissão de professor o ofício mais importante para que o país tenha um bom futuro, mas apenas 15% gostariam em virar educador.
Para o presidente da CNTE, professor Roberto Franklin de Leão, os números refletem a triste realidade da escola pública brasileira: "Consideramos fundamental ter um instituto de pesquisa qualificado comprovando as informações que os trabalhadores em educação vivenciam no dia a dia da escola. Esse documento revela dados que há tempos a CNTE aponta para a sociedade".

“O estudo reflete o cenário atual da educação pública no Brasil e serve para o desenvolvimento de ações que possam oferecer melhorias para o ensino público brasileiro”, afirma Renato Meirelles, presidente do Data Popular.
A pesquisa também levou em consideração aspectos relacionados à valorização, formação (capacitação) e remuneração dos professores e dos profissionais da educação.  O estudo mostra também que 99% dos brasileiros acreditam que a educação é muito importante para o futuro  do Brasil.  

Valorização do professor
Os entrevistados também entram em consenso quando o assunto é valorização dos professores, já que 98% avaliam que a profissão deveria ser mais valorizada. Na opinião dos brasileiros, oferecer uma educação de qualidade está ligada diretamente à valorização do professor. Por isso, boa parte dos entrevistados acredita que a saída para uma educação de qualidade é ter professores qualificados, bem preparados e com melhores salários. Para 76%, os professores são menos valorizados do que deveriam pela população, enquanto 85% acham que os professores são menos valorizados do que deveriam pelo governo.

Melhores salários
O salário oferecido aos professores da rede pública é considerado ruim ou péssimo para 66% dos consultados. Apenas 8% disseram que é bom. Quando questionados sobre os salários dos professores das escolas privadas, 49% disseram que a remuneração é ótima ou boa. Sendo assim, 98% consideram importante que professores e funcionários das escolas tenham bons salário para que a escola seja de qualidade.

Os entrevistados também reconhecem que o professor deveria ser a profissão com a melhor remuneração. Por outro lado, a maioria acredita que são os médicos, engenheiros e advogados que recebem os salários mais altos. Como forma de valorização, 85% dos brasileiros acreditam que os profissionais da educação deveriam ter um piso salarial nacional que valorize o salário.

Educação de qualidade
Entre os principais benefícios que a educação pública de qualidade pode trazer para a sociedade brasileira, os entrevistados destacaram: redução da violência, combate à pobreza, melhores empregos e formação de bons profissionais. E a maioria (59%) avalia que as escolas públicas estão longe de ter uma educação de qualidade. Outro aspecto abordado no estudo está relacionado ao futuro profissional. Para 48%, os alunos de escolas particulares têm mais chances de ter um bom emprego do que alunosque estudaram na rede pública. Como forma de melhorar a qualidade da educação, 94% são a favor da educação em tempo integral.

Papel dos governos
A responsabilidade dos governos federal, estadual e municipal também alvo da pesquisa. Para 43%, o governo federal é responsável pela educação pública em geral, enquanto 27% atribuem a responsabilidade ao governo municipal. Para melhorar a educação, 87% são favoráveis ao governo destinar 10% do PIB para educação. Hoje, são 6,5%. O tema educação também é levado em consideração na hora de escolher o candidato, já que 72% dos brasileiros se informar sobre educação antes de votar.

Metodologia da pesquisa
A pesquisa foi realizada em setembro de 2014, com 3 mil pessoas com mais de 16 anos, nas cinco regiões do País.

Serviço
Apresentação da pesquisa: sexta-feira (21 de novembro), às 18h30, na Conae (Conferência Nacional de Educação)
Local: Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB), que fica no Setor de Clubes Esportivos Sul, Trecho 02, Conjunto 63, Lote 50. Salas 15 e 16, 2º andar.

Informações para a imprensa:
Assessoria de imprensa CNTE
Frisson Comunicação
Tel.: +55 61 3965-8104
Katiuscia Sotomayor –
Amanda Vieira - 

Assessoria de imprensa Data Popular
Encaso Comunicação Corporativa
Tel.: +55 11 2950-2849
Ana Paula Soares –
Luciana Silva  –